app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Caderno B

O PINTO DO TABULEIRO

Monumento retorna revitalizado ao local tradicional e, agora, como patrimônio municipal; inauguração será nesta terça-feira (11)

Por MARIA CLARA ARAÚJO*/ ESTAGIÁRIA | Edição do dia 11/02/2020 - Matéria atualizada em 11/02/2020 às 06h00

Maceió, 06 de fevereiro de 2020    
Símbolos de Maceió, o tradicional "Pinto do Tabuleiro" foi restaurado. Alagoas - Brasil.
Foto: ©Ailton Cruz
Maceió, 06 de fevereiro de 2020 Símbolos de Maceió, o tradicional "Pinto do Tabuleiro" foi restaurado. Alagoas - Brasil. Foto: ©Ailton Cruz - Foto: © Ailton Cruz
 

Ao passar pela Avenida Durval de Góes Monteiro, no Tabuleiro do Martins, era comum se deparar com o monumento conhecido como Pinto do Tabuleiro. Algum tempo atrás o Pinto foi retirado de seu local, que já era um ponto de referência da capital alagoana, por causa de reformas no local. Este ano a Prefeitura de Maceió, junto com alguns parceiros, restauraram o monumento, que voltou a fazer parte do cenário da cidade de Maceió. A (re)inauguração está marcada para esta terça-feira (11), a partir das 17h, na atual empresa Edmundo Auto Peças. A Companhia Alagoana de Rações Balanceadas- Rações Carb S/A, empresa precursora da venda de ração animal em Alagoas, na década de 1960, inaugurou o monumento do famoso Pinto do Tabuleiro. A grande estátua foi instalada na sede da empresa, nas margens da Avenida Durval de Góes Monteiro, no bairro do Tabuleiro do Martins, como uma estratégia da empresa para se consolidar e deixar sua marca.

A estratégia da fábrica realmente funcionou, pois o monumento se tornou um marco para a capital alagoana. Sua estrutura com cinco metros de altura e com seu movimento de cabeça que ia para frente e para trás, sinalizando que a empresa estava trabalhando, o Pinto do Tabuleiro, chamava atenção de quem passava pela fábrica. Além de ser a marca da fábrica de ração, o Pinto acabou se tornando um ponto de referência de localização para a região.

A Rações Carb funcionou durante trinta anos, e antes de encerrar suas atividades, passou toda estrutura para uma nova empresa, também de rações, a Rações Guabi. A nova empresa resolveu deixar o símbolo da extinta Rações Carb, por já ser um símbolo consolidado no bairro. Com o fechamento de algumas granjas e a grande concorrência vinda de outros estados, como Minas Gerais e Pernambuco, a Rações Guabi também fechou as portas no final dos anos 1990. Já em meados dos anos 2000, outra empresa de um ramo diferente, a Edmundo Auto Peças, ocupou o lugar das outras duas fábricas de ração e se consolidou no local. A empresa também não retirou o monumento de imediato, mas após algumas reformas no prédio o Pinto foi retirado e guardado na sede da empresa, por consequência, com o tempo o monumento acabou se deteriorando

Por representar um grande valor histórico e por ter marcado várias gerações, a Prefeitura de Maceió junto com alguns parceiros, resolveu restaurar o monumento. A restauração foi viabilizada pela Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), e segundo coordenador de Parques e Intervenções da Sudes, Fábio Palmeira, o trabalho de restauração teve início após a identificação da antiga estrutura. “Recebi uma foto de meu irmão que mostrava o antigo Pinto e tive a ideia de recuperar, já que foi, por muito anos, uma grande referência em Maceió. Fomos em busca dos parceiros e o projeto foi abraçado pela turma do bloco Pinto da Madrugada, da Edmundo Auto Peças e da Malta Madeiras, que arcaram com os custos” diz Palmeira. A estrutura de concreto foi toda revitalizada e o monumento ganhou uma nova pintura e uma base com proteção em madeira foi instalada para ele. O monumento não só voltou para o seu local de origem como uma referência de localização, mas como um patrimônio da capital alagoana. A entrega do monumento do Pinto do Tabuleiro acontecerá nesta Terça (11), na Avenida Durval de Góes Monteiro, ao lado da empresa Edmundo Auto Peças. A Inauguração contará com a apresentação de orquestra de frevo do Pinto da Madrugada, a partir das 17h.

*Sob supervisão da editoria de Cultura

Mais matérias
desta edição