app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Caderno B

CORDEL NAS ESCOLAS E NA ACADEMIA DE LETRAS

Após reforma e prestes a virar centenária, Casa Jorge de Lima irá reabrir as portas e sedia lançamento de “Cordel para Principiantes”, de Massilon Silva

Por Thauane Rodrigues* ESTAGIÁRIA | Edição do dia 22/06/2022 - Matéria atualizada em 22/06/2022 às 14h39

 

Foto: Cortesia
  
De cara nova e prestes a completar 100 anos, a Casa Jorge de Lima irá reabrir as portas à sociedade com o lançamento do livro ‘Cordel para Principiantes’, do autor interiorano Massilon Silva, no dia 1º de julho . A obra é uma iniciativa pensada para alunos do ensino fundamental que estão tendo o primeiro contato com a literatura em cordel. O prédio, por sua vez, fica localizado em Maceió e foi a primeira sede da Academia Alagoana de Letras, que gere o espaço.

Nascido no município de Pão de Açúcar, Massilon Silva é apaixonado pelo cordel desde a infância e diz que a inquietação por não encontrar um material didático que fale exclusivamente do cordel o motivou a escrever o novo livro.

“A literatura em cordel chegou na minha vida quando eu era muito pequeno. Sempre gostei de poesia, escrevia na escola e o cordel é uma literatura rimada, se assemelha à poesia. Há algum tempo o cordel vem sendo muito badalado, tanto que existem muitos municípios e estados que o instituem como uma matéria auxiliar nas escolas. E eu verifiquei que não existe uma literatura que sirva como base para que se transforme em um paradidático”, contou o autor.

Celebrando a cultura nordestina e abrindo caminho para a perpetuação dos saberes tradicionais para as gerações futuras, o autor afirma que acredita que a obra será um grande ganho para os estudantes.

“Apesar de existir a boa vontade do cordel ser ensinado para os alunos, não existia um material para esses alunos. O livro é um material paradidático e chega para explicar diversas questões. Por enquanto, os municípios de Pão de Açúcar e Aracaju (SE) já abraçaram a ideia. Há quem diga que a poesia popular é cordel, mas não é. O repente também não é cordel, já que ele prima pelo improviso, e no cordel não existe o improviso”, explicou ele.

Com o Nordeste sendo o berço de grandes poetas populares e a literatura em cordel um dos grandes marcos tradicionais da cultura nordestina, para o presidente da Academia Alagoana de Letras (AAL), Alberto Rostand Lanverly, o lançamento da obra casou muito bem com o momento de reabertura das portas da Casa Jorge de Lima, sede oficial da AAL. .

De acordo com o autor, o desejo de lançar sua obra em um ambiente que lutasse para preservar a cultura alagoana é antigo e a oportunidade de ser na Casa Jorge de Lima está sendo de uma alegria.

“Eu queria lançar o livro em um ambiente que lutasse pela arte, cultura e pela literatura, então meu amigo Álvaro Antônio Machado me indicou a Casa Jorge de Lima e o sentimento de lançar o ‘Cordel para Principiantes’ na sede da Academia Alagoana de Letras é indescritível”, contou Massilon.

“Sou alagoano, do município de Pão de Açúcar, mas morei muito tempo em Maceió, saí de Alagoas em 1994 e é uma satisfação voltar para o meu Estado com essa obra que representa e ensina tanto”, completou ele.

O lançamento ocorrerá no dia 01/07, será aberto ao público e contará também com uma tarde de autógrafos.

CASA JORGE DE LIMA

Prestes a completar 100 anos, o prédio da Academia Alagoana de Letras, localizado na Praça Sinimbu, no Centro de Maceió, passou por uma extensa reforma e, agora, volta a ser cenário e palco para a cultura alagoana, de acordo com o presidente da instituição.

Para Alberto Rostand Lanverly, a ideia de revitalizar a Casa Jorge Lima surgiu há três anos. A reforma contou com o apoio dos sócios da AAL, da Casas Jardim, da Suvinil e da Sococo.

Ainda de acordo com o presidente da instituição, para proceder com a reforma e restauração, a empresa Suvinil, juntamente com a Casas Jardim, estudou as tintas e as cores que foram utilizadas no prédio, pensando em preservar a memória do local. Hoje, a tinta utilizada ganhou o nome de Academia Alagoana de Letras e pode ser adquirida pela sociedade.

“Foi uma sorte reiniciar as atividades da Casa Jorge de Lima com uma literatura tão alagoana como o cordel. Além disso, é uma oportunidade de poder divulgar mais ainda a nossa rica cultura. Todas as nossas atividades são divulgadas pelo mundo todo e, com certeza, o livro ganhará uma visibilidade adorável”, disse o presidente Alberto Rostand Lanverly.

Animado com o lançamento, o autor conta que a expectativa está nas alturas e acredita que será um momento marcante em sua vida.

“A expectativa é muito grande, estou muito feliz em retornar para minha terra. Espero ver a Casa Jorge de Lima lotada de amigos e gente que queira sempre manter viva a literatura em cordel”, disse Massilon.

*Sob supervisão da editoria de Cultura.

Mais matérias
desta edição