app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Caderno B

Mais de 29 mil famílias podem perder tarifa social da conta de luz

.

Por Carlos Nealdo | Edição do dia 03/07/2024 - Matéria atualizada em 03/07/2024 às 04h00

Mais de 29 mil famílias alagoanas podem perder a Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) por não atualizar o Número da Identificação Social (NIS) no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). O benefício do governo federal é previsto por lei para contemplar famílias de baixa renda.

Maceió lidera o ranking das cidades com maior número de cadastros pendentes. Cerca de 4.900 famílias ainda não atualizaram o NIS. A capital é seguida de Arapiraca, com mais de 2.600 registros, e de Palmeira dos índios, com aproximadamente 1.070 desatualizações.

“Ter o NIS válido é fundamental para garantir o recebimento do desconto da tarifa social referente ao consumo de energia elétrica. A atualização cadastral é obrigatória e deve ser feita a cada dois anos. Mesmo que não haja nenhuma mudança, o recadastramento é necessário e obrigatório para confirmação das informações do cadastro”, ressalta a gerente de relacionamento com o cliente da Equatorial, Patrícia Moraes.

Ela explica que para receber o benefício da tarifa social, a conta de luz não precisa estar no nome do beneficiário do NIS. O titular do benefício pode informar o número da conta contratual que deseja o cadastro, mesmo que a conta de energia esteja em nome de outra pessoa.

“Muitas famílias que podem receber o benefício ainda não se cadastraram e estão perdendo a oportunidade de ter uma conta de luz mais barata. Por isso, a Equatorial segue realizando a busca ativa, sobretudo com ações em parceria com o estado e o município”, complementa.

Além do atendimento presencial nas agências espalhadas pelo estado, a Equatorial Alagoas disponibiliza diversos canais para o cliente solicitar o cadastro na Tarifa Social sem precisar sair de casa. Por meio da assistente virtual Clara, através do WhatsApp, o número é (82) 2126-9200.

Criado pelo governo federal para beneficiar famílias com baixa renda, o Programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), consiste na redução da tarifa de consumo de energia elétrica em até 65%. O percentual é gradativo e a apresentação na fatura do cliente é detalhada por faixa de consumo. Quanto menor o consumo, maior o desconto na fatura. Para famílias indígenas e quilombolas que consomem até 50kWh/mês, o desconto é de 100%. Após 220kWh, os clientes pagam o valor normal da tarifa.

Mais matérias
desta edição