Nº 0
Charges

SINTEAL CHAMA RENAN FILHO DE ‘CARRASCO’ POR DESCONTO DE 14%

Entidade fará ato na sexta-feira, Dia do Aposentado, para protestar contra reforma previdenciária

Por thiago gomes | Edição do dia 21/01/2020 - Matéria atualizada em 21/01/2020 às 11h56

O Dia Nacional dos Aposentados, na próxima sexta-feira (24 de janeiro), não vai ser de comemorações aqui no Estado, pelo menos para quem é ligado à Educação. Um grande ato está sendo organizado pelo Sinteal [Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Alagoas], no centro de Maceió, com o objetivo é protestar contra o governador Renan Filho (MDB), chamado de ‘carrasco dos servidores’, por decidir descontar 14% do salário dos inativos a partir da sanção da reforma da previdência estadual. A manifestação está marcada para começar às 9 horas da manhã e deve reunir sindicalistas, professores da rede pública e funcionários do segmento da ativa e, sobretudo, os que já se aposentaram. Servidores de outras áreas também foram chamados e devem engrossar o movimento. A intenção é fechar trecho da Rua Cincinato Pinto, onde fica a sede do governo do Estado. Atos semelhantes devem acontecer em outras partes do País, levando em consideração que há um chamamento feito pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação para que os sindicatos locais se mobilizem no sentido de chamar a atenção da sociedade para os prejuízos causados pelas aprovações de reformas previdenciárias nos estados que só causaram prejuízos aos servidores. A presidente do Sinteal, Maria Consuelo Correia, diz lamentar o fato de os aposentados, que contribuíram uma vida toda para a Previdência, agora serem taxados pelo governo Renan Filho. Segundo ela, até agora, os inativos não tinham descontos se recebessem abaixo do teto salarial (agora acima de R$ 6 mil). Com a nova reforma, até os que ganham um salário mínimo serão incluídos. “A reforma do governador Renan Filho conseguiu ser pior do que a proposta do governo federal. Por isso, ele é um verdadeiro carrasco para os servidores de Alagoas, principalmente porque foi de Alagoas o pontapé para desconto previdenciário de aposentados que recebem pouco, mesmo aqui sendo o Estado mais pobre”, critica Consuelo. Ela revela que, atualmente, há cerca de 10 mil aposentados da Educação e a maioria é professor. Dos ativos, aproximadamente 2 mil servidores estão prestes a se aposentar. A reforma da previdência proposta por Renan Filho foi aprovada em dezembro do ano passado em tempo recorde de tramitação na Assembleia Legislativa Estadual (ALE). Apesar da mobilização do funcionalismo, o texto passou pelos deputados da forma como a equipe governista planejou. Em suma, a mudança é para taxar em 14% a alíquota previdenciária dos trabalhadores. Os servidores consideraram a matéria a mais cruel do Nordeste, fazendo comparativo com outros estados que aprovaram a medida, mas aliviaram o desconto de quem recebe menos. Para tentar reverter o plano do governador, os trabalhadores se uniram e estudam medidas judiciais. Eles alegam, entre outras questões, que o texto levado à ALE não passou pelo crivo da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e, portanto, seria inconstitucional.

Mais matérias
desta edição