app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Cidades

Barraqueiros reclamam de esgoto na orla mar�tima

A falta de saneamento na capital começa a afetar a orla marítima, o principal cartão-postal de Maceió. Nos últimos meses, o entupimento de esgotos vem afugentando banhistas das principais praias e prejudicando o movimento das barracas e ambulantes, que

Por | Edição do dia 28/08/2002 - Matéria atualizada em 28/08/2002 às 00h00

A falta de saneamento na capital começa a afetar a orla marítima, o principal cartão-postal de Maceió. Nos últimos meses, o entupimento de esgotos vem afugentando banhistas das principais praias e prejudicando o movimento das barracas e ambulantes, que pedem providências aos órgãos públicos para resolver o problema de infra-estrutura. Na Praia da Ponta Verde, uma das mais procuradas por turistas, existem dois pontos em que o esgoto corre a céu aberto, causando uma grande fedentina. Num dos trechos da orla, a água proveniente das caixas de gordura existentes ao lado das barracas, corre em direção ao mar, colocando em risco a saúde dos banhistas. Para evitar que a água escorresse, os ambulantes improvisaram colocando areia da praia e fazendo um buraco, impedindo a contaminação do esgoto com a água do mar. “Os turistas quando passam por aqui reclamam do mau cheiro e vão embora para outra praia”, afirma o barraqueiro José Geoberto dos Santos, diretor da Associação dos Prestadores de Serviço da Orla Marítima. Diante da fedentina provocada pelo esgoto, dirigentes da associação ligaram para a Vigilância Sanitária Municipal pedindo que o órgão inspecionasse o local para tomar alguma providência. “Mas infelizmente, eles informaram que só poderiam fazer alguma coisa no final desta semana”, salientou Geoberto. Segundo os ambulantes, o problema existe há muito tempo. “Quando as caixas de esgoto entopem, o pessoal da prefeitura vem aqui e faz o desentupimento, mas depois tudo volta. É preciso saneamento básico”, reclamou.

Mais matérias
desta edição