app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Cidades

MP decide investigar importa��o de armas

O promotor Cyro Blatter Moreira afirmou, ontem, que o Ministério Público (MP) vai investigar a compra de armas feita pela Secretaria de Defesa Social, em 2000, e que ainda não foi entregue por uma empresa importadora uruguaia com sede em São Paulo. Serão

Por | Edição do dia 29/08/2002 - Matéria atualizada em 29/08/2002 às 00h00

O promotor Cyro Blatter Moreira afirmou, ontem, que o Ministério Público (MP) vai investigar a compra de armas feita pela Secretaria de Defesa Social, em 2000, e que ainda não foi entregue por uma empresa importadora uruguaia com sede em São Paulo. Serão ouvidos todos os envolvidos no processo de aquisição dos armamentos, entre eles o ex-secretário Mário Pedro dos Santos. “Queremos saber o porquê das armas, compradas por R$ 600 mil, ainda não terem sido entregues”, afirmou Cyro Blatter, acrescentando que vai intimar, ainda, os diretores da empresa importadora para darem explicações sobre o caso. Segundo o promotor, também serão analisados todos os documentos e certidões entregues pela Defesa Social à empresa importadora. “Já pedimos ao secretário Antônio Arecippo a cópia de toda documentação que diz respeito à compra das armas, que deve ser entregue de imediato ao MP para apreciação”, afirmou Cyro Blater. Caso seja encontrada alguma irregularidade no processo de aquisição das armas o MP vai acionar os culpados na Justiça. “O relatório final das investigações deve estar pronto em, no máximo, 60 dias, e vamos entrar com ações civil e criminal, caso encontremos irregularidades”, assegurou o promotor. A denúncia sobre o possível calote na compra das armas a uma empresa italiana foi feita durante uma reunião do Conselho Estadual de Segurança, no Palácio Floriano Peixoto, pelo advogado Pedro Montenegro, que afirmou ter obtido as informações sobre a negociação com fontes do Ministério da Justiça. De acordo com dados da Defesa Social, o armamento pertence a um lote de escopetas do tipo Bereli, comprado com verba do Plano Nacional de Segurança Pública.

Mais matérias
desta edição