app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Cidades

Bolsa-escola: m�es denunciam atraso no pagamento

Dezenas de mães cadastradas pelo Programa Bolsa-escola do governo estadual reclamam do atraso no pagamento do benefício, que é de R$ 75,00. Segundo elas, a parcela de julho era para ser liberada no dia 15 deste mês, mas até agora o dinheiro não foi pago

Por | Edição do dia 31/08/2002 - Matéria atualizada em 31/08/2002 às 00h00

Dezenas de mães cadastradas pelo Programa Bolsa-escola do governo estadual reclamam do atraso no pagamento do benefício, que é de R$ 75,00. Segundo elas, a parcela de julho era para ser liberada no dia 15 deste mês, mas até agora o dinheiro não foi pago. “Não podemos aceitar esse atraso, porque dependemos desse dinheiro para sustentar nossos filhos que estão na escola”, disse Antônia, que não quis dar o nome completo temendo represálias. De acordo com ela, a coordenação do programa pediu que as mães não procurassem a imprensa para denunciar o atraso, porque o pagamento seria providenciado. “Mas o pessoal da Secretaria de Educação afirmou que o dinheiro só iria sair dentro de duas semanas”, contou Silvânia (ela também não quis fornecer o nome completo. “Como é que a gente vai passar até lá, vai comer o quê”, indagou. Dívidas Moradoras da favela de Jaraguá, as mães afirmam que dependem do dinheiro do Bolas-escola para sustentar a família e pagar dívidas no comércio. “Eu mesma comprei um guarda-roupa para minha casa confiando nesse dinheiro, agora estou com a prestação em atraso”. O atraso no pagamento do programa vem acontecendo há vários meses, de acordo com as mães. Ontem, uma grupo foi à Secretaria de Educação e foram informadas de que o pagamento seria liberado no próximo dia 11. “Toda vez que isso acontece, a gente deixa de receber um mês do Bolsa-escola”, criticou dona Luiza, outra mãe beneficiada pelo programa. Ela diz que investe os R$ 75 na educação do único filho, matriculado em escola pública. “Com esse atraso, a gente não tem nem condições de comprar um lanche para o menino poder estudar de barriga cheia”.

Mais matérias
desta edição