app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Cidades

Secretaria derruba coqueiros para evitar acidentes na orla

Para evitar tragédias junto aos banhistas ou vendedores da orla marítima de Maceió, a Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente derrubou, na manhã de ontem, 20 coqueiros envelhecidos ou em situação de risco à população. A operação foi desencade

Por | Edição do dia 06/09/2002 - Matéria atualizada em 06/09/2002 às 00h00

Para evitar tragédias junto aos banhistas ou vendedores da orla marítima de Maceió, a Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente derrubou, na manhã de ontem, 20 coqueiros envelhecidos ou em situação de risco à população. A operação foi desencadeada após um levantamento feito pela Secretaria e o Departamento de Parques e Jardins da Somurb, segundo informações do engenheiro agrônomo responsável, Artur Franssy. “Nosso objetivo é evitar que um coqueiro desses caia sobre pessoas ou objetos, colocando em risco a vida e patrimônios, sobretudo em dias de ventos fortes”, disse Artur, ao citar o caso de um coqueiro que caiu recentemente sobre carros, num condomínio em Cruz das Almas. Para derrubar um coqueiro, os técnicos ambientais consideram critérios como pragas e doenças que atacam os coqueirais, a sua altura e a forma como está inclinado e propenso a cair. Em alguns casos, os coqueiros tinham mais de 25 metros de altura e estavam totalmente inclinados, a exemplo de um deles, derrubado em frente ao Maceió Mar Hotel. “Num dia de vento forte e praia cheia, a queda de um desses coqueiros significaria uma tragédia”, argumentou Artur Franssy. Alguns deles já estavam sem vida, mas se mantinham em pé. O tempo de vida de um coqueiro pode chegar até a 70 anos, mas, de acordo com Franssy, o estresse da cidade, a retirada de palhas e frutos para que não frutifiquem influenciam provocando envelhecimento precoce e até a queda dessas espécies. Ele chamou a atenção dos Sete Coqueiros, que são um cartão postal, mas preocupam. “Vamos retirar os que oferecem riscos à população”, informou.

Mais matérias
desta edição