app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

SMTT n�o convence vereadores sobre interven��o na Transpal

A Câmara Municipal de Maceió realizou, ontem, um debate com o superintendente municipal de Transportes e Trânsito, José Sangremann Lessa, e o presidente da Transpal, Sérgio Rodrigues, sobre o Decreto 6.264, publicado no Diário Oficial do Município (DOM),

Por | Edição do dia 13/09/2002 - Matéria atualizada em 13/09/2002 às 00h00

A Câmara Municipal de Maceió realizou, ontem, um debate com o superintendente municipal de Transportes e Trânsito, José Sangremann Lessa, e o presidente da Transpal, Sérgio Rodrigues, sobre o Decreto 6.264, publicado no Diário Oficial do Município (DOM), em que a prefeita Kátia Born (PSB) decretou intervenção na Transpal. Os vereadores decidiram reconvocar os dois, pois os esclarecimentos de Lessa não convenceram a maioria. De acordo com José Sangremann Lessa, está havendo um equívoco na interpretação do decreto. O que houve, conforme esclareceu, é a determinação de uma gestão compartilhada, onde a SMTT irá participar mais ativamente das ações da Transpal. A prefeita tomou tal decisão, de acordo com Sangremann, em função do atraso dos resultados da Câmara de Compensação Tarifária, de 20 dias. “O que interessa é acabar com o déficit, que hoje é de R$ 20 milhões”, afirmou o superintendente, referindo-se à dívida existente na Câmara de Compensação Tarifária desde 1993. O vereador Alan Balbino (PSB) fez algumas colocações sobre o decreto, afirmando que, se realmente for uma intervenção, a prefeitura tem que se pronunciar. Ele falou, ainda, sobre o problema da gratuidade nos ônibus, onde há inúmeras pessoas beneficiadas. “Será necessária uma junta médica para analisar os pedidos de gratuidade, pois pessoas que precisam do benefício estão sendo atrapalhadas por outras que não precisam”, frisou. Em tom de indignação, Balbino informou que se não houver dignidade na condução dos trabalhos sobre o transporte público de Maceió, não mais comparecerá às sessões que venham discutir o assunto, pois ele acha que deve existir diálogo entre a Transpal e a SMTT, bem como a Câmara deve, obrigatoriamente, estar ciente de todas as medidas que venham a ser tomadas no setor.

Mais matérias
desta edição