app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Cidades

Navio-patrulha da Marinha pode ser visitado no Cais de Macei�

O navio-patrulha Graúna, da Marinha do Brasil, que saiu de Natal, no Rio Grande do Norte, havia uma semana, chegou ontem pela manhã ao Porto de Maceió, onde fica atracado até a próxima segunda-feira. O Graúna, que faz trabalho de fiscalização em mar ter

Por | Edição do dia 14/09/2002 - Matéria atualizada em 14/09/2002 às 00h00

O navio-patrulha Graúna, da Marinha do Brasil, que saiu de Natal, no Rio Grande do Norte, havia uma semana, chegou ontem pela manhã ao Porto de Maceió, onde fica atracado até a próxima segunda-feira. O Graúna, que faz trabalho de fiscalização em mar territorial brasileiro da costa de Fortaleza (CE) até a divisa de Alagoas com Sergipe, pode ser visitado hoje e amanhã, das 14 às 17 horas. Segundo o comandante Josean Alves Pinheiro, o navio Graúna, construído no estaleiro de Niterói, foi lançado ao mar em 1993 e é o segundo da Marinha do Brasil a ostentar em sua popa o nome Graúna, em alusão a um dos rios no Estado do Rio de Janeiro que deságua entre Parati e Angra dos Reis. Ele explica ainda que a tripulação de 29 pessoas saiu de Natal (RN), havia uma semana, com a missão de patrulhar o terceiro distrito da costa brasileira. “Trata-se de um trabalho de rotina, realizado a até 12 milhas (o equivalente a 24 quilômetros) da costa brasileira. Na patrulha, fiscalizamos ainda a área de zona econômica onde navegam os navios de carga ou mesmo os navios de pesca estrangeiro”, explica Josean Alves Pinheiro. Nessa inspeção, que terminou no na madrugada de quinta-feira, 12, em Piaçabuçu, na foz do Rio São Francisco, nada de irregular foi detectado durante o trabalho, revela o comandante. Equipado com canhões de 40 e 20 milímetros para mais de 300 tiros por minuto, o Graúna tem moderna tecnologia de navegação. “Está equipado com motores alemães e radares ingleses. Dispomos ainda de um radar com capacidade de vasculhar uma área de 24 milhas (aproximadamente 48 quilômetros)”, ressalta o comandante.

Mais matérias
desta edição