app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Guardas municipais definem contraproposta

Os guardas municipais realizaram uma assembléia, ontem de manhã, no auditório do Sindicato dos Urbanitários, para discutir a proposta apresentada pela Prefeitura de Maceió de reajuste do salário da categoria e da gratificação de risco de vida. Na assembl

Por | Edição do dia 28/09/2002 - Matéria atualizada em 28/09/2002 às 00h00

Os guardas municipais realizaram uma assembléia, ontem de manhã, no auditório do Sindicato dos Urbanitários, para discutir a proposta apresentada pela Prefeitura de Maceió de reajuste do salário da categoria e da gratificação de risco de vida. Na assembléia, a categoria descartou a possibilidade de greve, mas apresentou uma contraproposta, que deve ser avaliada pelos técnicos da Secretaria de Finanças e Administração até a próxima segunda-feira. Segundo o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais, Carlos Antônio, a prefeitura apresentou a mesma proposta de reajuste dos salários acordada com o Sindicato dos Servidores da Prefeitura (Sindipref), de 15%, sendo 5% aplicado na folha de setembro, 2,5% em outubro e 7,5% em dezembro. “No caso da Guarda Municipal seriam acrescentados mais 5% referentes ao risco de vida”, observou o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais. Na contraproposta, a categoria pede que o percentual de reajuste para o risco de vida seja de 10%. “A gente abre mão do abono de R$ 10,54, concedido pela prefeitura, para complementar o valor do salário - base dos servidores municipais que hoje é de R$ 185,00, para que seja o reajuste da gratificação de risco de vida de 10%”. Eles também conseguiram o compromisso de que até janeiro esteja pronto o Plano de Cargos e Carreiras (PCC) da categoria.

Mais matérias
desta edição