app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Cidades

Secret�rio diz que Catarse descumpriu data de edital

O secretário Municipal de Promoção da Cidadania e Assistência Social, Carlos Ronalsa, contesta as afirmações do coordenador do Catarse, que colocam em dúvida a lisura do processo de seleção da instituição executora do projeto Sentinela. Segundo ele, a es

Por | Edição do dia 29/09/2002 - Matéria atualizada em 29/09/2002 às 00h00

O secretário Municipal de Promoção da Cidadania e Assistência Social, Carlos Ronalsa, contesta as afirmações do coordenador do Catarse, que colocam em dúvida a lisura do processo de seleção da instituição executora do projeto Sentinela. Segundo ele, a escolha foi feita de maneira aberta, com publicação de edital e decisão do Conselho Municipal de Assistência Social. Quanto à equipe técnica, ele mostra um documento assinado pelo coordenador nacional do programa Antonio Motti, recomendando que a equipe permaneça a mesma para evitar a descontinuidade das ações. Ronalsa mostra cópia do Edital publicado no dia 17 de agosto, na imprensa local, convocando as entidades interessadas em participar do processo seletivo para uma primeira reunião, no dia 23. “Todas as entidades que compareceram, em princípio, foram consideradas pretendentes, entre elas a “Deus Proverá, que manifestou interesse e ficou de dar uma posição posteriormente. O Catarse não estava presente, e só se inscreveu depois de encerrado o prazo de inscrições, na véspera da seleção, que aconteceu no dia 30. O secretário mostra, ainda, a ata da reunião do dia 23 onde as instituições Thalita, URZ e Deus Proverá manifestaram interesse, mediante seus representantes, em executar o programa. As outras duas manifestaram desistência, posteriormente, e só a Deus Proverá se manteve como interessada, sendo escolhida no dia 30. Documento “O documento que comprova que a entidade estava concorrendo ao processo é a ata da reunião na qual seus representantes informam que iriam conversar com a diretora. E o Conselho decidiu pela Deus Proverá porque ela não apresentou desistência. O Catarse ficou fora porque não quis participar do processo e não manifestou interesse dentro do prazo estabelecido pelo edital”, justifica Ronalsa. E para completar ele argumenta: “Já pensou se tivéssemos aceitado a inscrição fora do prazo, escolhêssemos o Catarse e depois a Deus Proverá questionasse: nós participamos desde o início, demonstramos nosso interesse, e fomos preteridos por uma entidade que não participou do processo!”?

Mais matérias
desta edição