app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5716
Cidades

Lei seca passa a vigorar no pr�ximo domingo

A lei seca, que proíbe a comercialização e consumo de bebidas alcoólicas em dia de eleição, passará a vigorar no próximo domingo, dia das eleições, em todo o Estado de Alagoas. Conforme informou o comandante de policiamento da Capital, coronel Edmilso

Por | Edição do dia 04/10/2002 - Matéria atualizada em 04/10/2002 às 00h00

A lei seca, que proíbe a comercialização e consumo de bebidas alcoólicas em dia de eleição, passará a vigorar no próximo domingo, dia das eleições, em todo o Estado de Alagoas. Conforme informou o comandante de policiamento da Capital, coronel Edmilson Cavalcante, a fiscalização será feita no Estado através de viaturas operacionais. Em Maceió, segundo ele, vinte viaturas estarão percorrendo, no horário, das 8 às 17 horas, todos os principais pontos da cidade, inclusive orla marítima e orla lagunar. Penalidade Segundo informou o comandante do policiamento, o proprietário do estabelecimento que descumprir a lei terá seu bar ou restaurante trancado, e em caso de reincidência, poderá até ser conduzido a uma delegacia de polícia. Já o eleitor que consumir bebidas alcoólicas, dependendo de seu estado, segundo ele, poderá até ser conduzido também a uma delegacia de polícia. O comandante alerta as pessoas a denunciar os estabelecimentos que desrespeitarem a lei, através do contato direto com os próprios policiais que estiverem nas viaturas, ou então telefonar para os telefones: 190 ou 201-2000 (Disk-Denúncia). “Dessa forma teremos conhecimento do ocorrido, e tomaremos as providências necessárias”, acentuou. Quanto à realização da boca-de-urna no dia da eleição, Edmilson Cavalcante disse que os policiais vão fazer a apreensão do material, e em caso de insistência, conduzirá o responsável pela boca-de-urna, ao Corpo de Bombeiros, onde permanecerá detido até as 16h30, sendo posteriormente liberado para que pratique o exercício do voto. “Nosso compromisso será trabalhar da melhor forma possível para a tranqüilidade do pleito”, assegurou.

Mais matérias
desta edição