app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Sindicalista denuncia persegui��o pol�tica a prestadores de servi�o

Maikel Marques O presidente do Sindicato dos Prestadores de Serviço da Saúde, sindicalista Chico Lima, denunciou, ontem, que os integrantes da categoria vêm sendo pressionados pelos diretores do Hemoal, do Hospital José Carneiro e ainda do HDT a não co

Por | Edição do dia 04/10/2002 - Matéria atualizada em 04/10/2002 às 00h00

Maikel Marques O presidente do Sindicato dos Prestadores de Serviço da Saúde, sindicalista Chico Lima, denunciou, ontem, que os integrantes da categoria vêm sendo pressionados pelos diretores do Hemoal, do Hospital José Carneiro e ainda do HDT a não comparecer às assembléias de protesto pelo atraso no pagamento de dez folhas sala-riais. “Recebo dezenas de reclamações a cada dia de que o pessoal está sendo pressionado, inclusive a votar nos candidatos do governo do Estado”, denuncia. Segundo Chico Lima, as denúncias mais grave vêm de unidades como o Hemoal e o Hospital José Carneiro, onde a pressão “dos comandados do governo” é acirrada e chega a prejudicar o dia a dia dos profissionais prestadores de serviço da saúde. “Amedrontados, eles têm medo de sofrer represálias e chegam aos montes no sindicato reclamando da pressão contra os que não concordam com o voto imposto pelo governo”, diz Chico Lima. Motivos Ele diz ainda que a pressão contra os prestadores de serviço da saúde foi um dos motivos da pouca presença de profissionais à última assembléia, terça-feira passada. Chico Lima ressalta que o alerta serve de exemplo para que a sociedade tome conhecimento do tratamento imposto ao servidor que, além de não receber em dia seus vencimentos, ainda é obrigado a abdicar do sagrado direito do voto democrático. A denominada “perseguição generalizada” contra os servidores que não concordam com a imposição do voto, diz Chico Lima, deve se acentuar ainda mais nos momentos que antecedem o dia 6 de outubro. “São ameaças de demissão contra quem não vota em Lessa e ainda ameaças de transferência de quem se manifestar com opiniões contrárias”, ressalta Chico Lima.

Mais matérias
desta edição