app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Conselho adverte: m�dicos n�o podem indicar �tica

O Conselho Regional de Óptica e Optometria (CROO/AL) e o Sindicato do Comércio Varejista de Ópticas (Sindóptico/AL) estão realizando um trabalho de conscientização contra oftalmologistas e ópticas que manipulam seus clientes. “É uma prática comum o médico

Por | Edição do dia 15/10/2002 - Matéria atualizada em 15/10/2002 às 00h00

O Conselho Regional de Óptica e Optometria (CROO/AL) e o Sindicato do Comércio Varejista de Ópticas (Sindóptico/AL) estão realizando um trabalho de conscientização contra oftalmologistas e ópticas que manipulam seus clientes. “É uma prática comum o médico indicar a óptica onde o cliente deve fazer o óculos ou a ótica indicar o médico com quem a pessoa deve fazer o exame, mas isso é uma prática ilegal”, afirmou Josué José da Silva, presidente do CROO/AL. Segundo ele, a Secretaria de Defesa Social deverá nomear um delegado para investigar o assunto. “A Procuradoria Geral de Justiça, a Vigilância Sanitária e o Conselho Regional de Medicina também estão tomando as medidas cabíveis para resolver esta questão”, declarou, ressaltando que a Vigilância Sanitária irá trabalhar em parceria com o CROO e o Sindóptico para fiscalizar. Sandro de Almeida Silva, presidente do Sindóptico, ressalta que os médicos e ópticas que adotam esta postura antiética normalmente oferecem um serviço de má qualidade. “A pessoa vai ao oculista, e junto com a receita ele entrega um cartão indicando a ótica onde o óculos deverá ser feito. Quando a pessoa faz uma pesquisa de preço, as outras ópticas combram R$100, por exemplo, e a que o médico indicou cobra R$ 60 pelas mesmas lentes”, contou, ressaltando que o paciente acaba aceitando a indicação do médico e adquirindo um produto de qualidade inferior.

Mais matérias
desta edição