app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Professores passam o dia debatendo reivindica��es

Para marcar a passagem do Dia do Professor, o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) desenvolve, durante todo o dia de hoje, uma série de atividades políticas. Segundo a presidenta da entidade,Lenilda Lima, não haverá descanso no fer

Por | Edição do dia 15/10/2002 - Matéria atualizada em 15/10/2002 às 00h00

Para marcar a passagem do Dia do Professor, o Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) desenvolve, durante todo o dia de hoje, uma série de atividades políticas. Segundo a presidenta da entidade,Lenilda Lima, não haverá descanso no feriado, e logo pela manhã a categoria participa de uma mesa-redonda juntamente com os conselhos Estadual e Municipal de Educação, e o Conselho Estadual do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental e Valorização do Magistério (Fundef). Lenilda Lima explicou que o objetivo principal dessa mesa-redonda é o debate das condições salariais e de trabalho dos professores no Estado. “Estaremos debatendo nossas reivindicações nas emissoras de rádio e expondo à população o verdadeiro quadro da educação no Estado, em que não há o que comemorar”, ressaltou, acrescentando que após a mesa-redonda os professores vão entregar um documento ao governo do Estado, à Prefeitura de Maceió, à Câmara dos Vereadores e à Assembléia Legislativa. Entre as reivindicações da categoria, ela cita a revisão do Plano de Cargos e Carreira (PCC), com a inclusão do pessoal administrativo; a definição de uma data-base para a categoria, e a diminuição da jornada de trabalho em sala de aula, com mais tempo para o professor se dedicar ao planejamento de suas aulas. Luta Lenilda Lima destacou que o Dia do Professor será de luta, como o são todos os outros dias para a categoria. “Gostaria que o educador fosse lembrado todos os dias, em virtude da função social que ele exerce na construção da cidadania”, disse, acrescentando que a maior virtude do educador deve ser a persistência. “Não devemos deixar que os entraves destruam as nossas esperanças e convicções de presente e de futuro”, finalizou.

Mais matérias
desta edição