app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Ex�rcito entra na luta de combate � dengue

O 59º Batalhão de Infantaria Motorizado de Alagoas vai disponibilizar, a partir do próximo dia 4 de março, 35 homens para ajudar o Estado a combater o mosquito da dengue. O número de pessoas com sintomas da doença saltou de 297 no último dia 20 para 430 o

Por | Edição do dia 26/02/2002 - Matéria atualizada em 26/02/2002 às 00h00

O 59º Batalhão de Infantaria Motorizado de Alagoas vai disponibilizar, a partir do próximo dia 4 de março, 35 homens para ajudar o Estado a combater o mosquito da dengue. O número de pessoas com sintomas da doença saltou de 297 no último dia 20 para 430 ontem, sendo 100 casos já confirmados em laboratório, como disse ontem a coordenadora do Núcleo de Epidemiologia do Estado, Cleide Moreira. Segundo ela, todos os casos são de dengue comum, diferente da dengue tipo 3, que está em epidemia no Rio de janeiro, Goiás e Mato Grosso. “De qualquer forma, o avanço da doença em Alagoas nos preocupa, apesar de que todos os anos aparecem casos de dengue. Temos surtos endêmicos entre fevereiro e março. O ano passado, neste mesmo período, foram registrados 296 pacientes de dengue. Houve, portanto, um crescimento que nos preocupa, mas todas as medidas de controle e prevenção foram tomadas”, argumentou. Ela explica que a Secretaria de Saúde do Estado está com 1.997 agentes fazendo o combate aos focos do mosquito, sendo 500 só na Capital. Em Maceió existem 165 casos notificados e 18 confirmados. Os sintomas da doença são: febre alta, diarréia, dor de cabeça, dor nas articulações e músculos. “As pessoas devem procurar atendimento médico assim que estiver com estes sintomas”, recomenda Cleide. Participaram da reunião no 59º, o comandante Albérico, da corporação, o secretário adjunto da Saúde, Jorge Vilas Boas,e Cleide Moreira. A idéia é eliminar focos do Aedes e atuar em atividades educativas para esclarecer a população como evitar a proliferação do mosquito, através do fim dos criadouros. De acordo com Cleide ainda não houve um caso sequer de dengue hemorrágico confirmado. “Todos os tipos de dengue são transmitidos através do mosquito Aedes Aegpity, daí porque é imprescindível matar o mosquito e principalmente destruir os focos, como recipientes que acumulam água. A população precisa se conscientizar do perigo de manter pneus no quintal, e vasos de planta aquática e outros meios de atrativo para o inseto”, alertou.

Mais matérias
desta edição