app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Cidades

Alagoana procura irm� g�mea que vive no interior

Amélia Maria da Conceição, conhecida como “Esmeralda” – natural de Alagoas e atualmente morando no Rio de Janeiro – deseja obter informações de sua irmã gêmea, que vive em Santana do Ipanema. Ela faz parte do Programa Procuro Minha Família, da Fundaç

Por | Edição do dia 10/11/2002 - Matéria atualizada em 10/11/2002 às 00h00

Amélia Maria da Conceição, conhecida como “Esmeralda” – natural de Alagoas e atualmente morando no Rio de Janeiro – deseja obter informações de sua irmã gêmea, que vive em Santana do Ipanema. Ela faz parte do Programa Procuro Minha Família, da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA), entidade governamental do Rio de Janeiro vinculada à Secretaria de Estado de Ação Social e Cidadania. Implantado em janeiro  de 2002, o Programa é um  serviço de âmbito nacional,  para localização de pais,  responsáveis, irmãos, parentes consangüíneos das  crianças e jovens (na faixa  etária de 0 a 21 anos) atendendo ao que preconiza o  artigo 87, inciso IV da Lei  Federal no 8069 de 13 de julho de 1990 – Estatuto da  Criança e do Adolescente  (ECA) – estabelecendo a  “identificação e localização  de pais, responsáveis, crianças e adolescentes desaparecidos”. O programa atende, ainda, a demanda de pessoas que um dia estiveram abrigadas em Instituições Públicas ou Particulares e que por motivos vários não conseguiram o exercício pleno de sua cidadania, na parte do Direito Fundamental do ser humano de conhecer sua história de vida e principalmente reatar, refazer, estabelecer laços ou simplesmente conhecer seus parentes consangüíneos. Ficha cadastral Os parentes de crianças e adolescentes desaparecidos devem preencher uma ficha cadastral, entregar uma fotografia da época em que chegou à instituição; autorização do juiz da Infância e da Juventude para publicação da fotografia na mídia, e da história de vida. Para crianças e adolescentes egressos de instituições deve se apresentar uma fotografia da época da separação dos familiares; autorização do tutor e/ou responsável, e do egresso para publicação na mídia da fotografia e da história de vida e relato de sua história, com tudo o que puder lembrar. O contato com a FIA pode ser feito através dos telefones: (21) 2579-2154 ou 2299-1470.

Mais matérias
desta edição