app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Cidades

“N�o h� falta d’�gua em Macei�”, garante a Casal

“Não existe falta d’água em Maceió”. A afirmação é do presidente da Companhia de Abastecimento de Água e Saneamento de Alagoas (Casal), João José Beltrão, que completou, “o que existe são problemas rotineiros, como entupimento de canos, vazamentos ou falt

Por | Edição do dia 10/11/2002 - Matéria atualizada em 10/11/2002 às 00h00

“Não existe falta d’água em Maceió”. A afirmação é do presidente da Companhia de Abastecimento de Água e Saneamento de Alagoas (Casal), João José Beltrão, que completou, “o que existe são problemas rotineiros, como entupimento de canos, vazamentos ou falta de energia”. Segundo ele, mesmo com o aumento do consumo de água entre 40% e 50% nos meses mais quentes, não há a possibilidade de racionamento de água neste verão. “Os níveis do Catolé e do aviação estão normais para esta época do ano, mas em alguns locais a tubulação precisa ser trocada”, afirmou, explicando que a falta de água em alguns bairros acontece por conta de canos velhos. “Mas no Trapiche, Prado, algumas ruas do Farol e na Ladeira da Catedral, nós já concluímos a troca, mas essas obras têm que ser planejadas, porque prejudicam o trânsito”, justificou. Segundo ele, há ainda 50km de canos a serem trocados, mas faltam recursos para concluir a obra. Beltrão explica que, para evitar o desperdício, estão sendo feitas palestras nas comunidades. “Estamos convocando entidades de todos os bairros para informar que a água um dia pode acabar, se não for economizada. Mas o maior problema é que muita gente não gosta de pagar água”, afirmou, ressaltando que também será feita campanha na mídia. Na Pajuçara, bairro onde é registrado o maior consumo de água, João José Beltrão afirma que a solução é construir poços artesianos. “Naquela região, o problema estaria resolvido se o sistema Pratagy já estivesse funcionando”, disse. Hotéis Mas para Waldir Duarte, presidente do Sindicato de Hotéis, Bares e Similares, a deficiência no abastecimento interfere na qualidade dos serviços. “Esse problema não chega a atrapalhar o turismo, porque alguns hotéis dispõem de poços e outros compram água de caminhões-pipa”, declarou.

Mais matérias
desta edição