app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Cidades

Maceioense ter� acesso a exame para detectar diabetes

Amanhã, 14, qualquer pessoa poderá fazer teste de Glicemia Capilar, para detectar se é ou não diabética. Os exames serão feitos no Hospital Universitário (HU) e no posto Saúde na Praia, da Unimed. Além do exame, os interessados assistirão a palestras e re

Por | Edição do dia 13/11/2002 - Matéria atualizada em 13/11/2002 às 00h00

Amanhã, 14, qualquer pessoa poderá fazer teste de Glicemia Capilar, para detectar se é ou não diabética. Os exames serão feitos no Hospital Universitário (HU) e no posto Saúde na Praia, da Unimed. Além do exame, os interessados assistirão a palestras e receberão folhetos com explicações sobre uma das doenças que mais atinge o homem em todo o mundo. Com essas atividades, a Sociedade Alagoana de Endocrinologia marca a passagem do Dia Mundial do Diabetes, cujo tema este ano é “Seus olhos e o Diabetes – Não perca os riscos de vista”. Não há informação sobre o número de alagoanos com diabetes, admite a endocrinologista Thaís Mendonça. Segundo ela, não há também números sobre os brasileiros portadores da doença. O que os especialistas sabem, acrescenta a médica, é que 120 milhões de pessoas no mundo têm diabetes, e que 7,6% da população brasileira tem diagnóstico confirmado. “O importante é orientar a população sobre a necessidade do diagnóstico precoce”, afirma. A médica explica que o diabetes tipo 2 é o mais freqüente, e quanto mais tardio o diagnóstico maiores são os riscos de o paciente desenvolver complicações como retinopatia diabética (prejuízo da visão), nefropatia (lesão do rim), amputação e doença cardiovascular. O diabetes, acrescenta ela, é uma doença cara e de difícil tratamento, pois restringe um dos grandes prazeres, que é a alimentação. “Por isso é fundamental que pessoas acima de 40 anos, obesas e com histórico familiar de diabetes façam o exame de Glicemia Capilar”, orienta a médica.

Mais matérias
desta edição