app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Hospitais v�o atender casos de dengue

O presidente do Sindicato dos Hospitais, Humberto Gomes de Melo, disse, ontem, que os hospitais não vão recusar pacientes de dengue, caso haja mesmo uma epidemia no Estado. Mas ressaltou que o governo federal precisa definir o pagamento extrateto para rem

Por | Edição do dia 28/02/2002 - Matéria atualizada em 28/02/2002 às 00h00

O presidente do Sindicato dos Hospitais, Humberto Gomes de Melo, disse, ontem, que os hospitais não vão recusar pacientes de dengue, caso haja mesmo uma epidemia no Estado. Mas ressaltou que o governo federal precisa definir o pagamento extrateto para remunerar o serviço. Ele revela que os hospitais deixam de receber todo mês cerca de R$ 700 mil de internações. “Diante dessa realidade é realmente complicado aumentar ainda mais o atendimento sem perspectiva de receber. Estamos preparados para prestar a assistência e esperamos que a Portaria do Ministério da Saúde determine a forma de pagamento”, observou Humberto. Ele acrescenta que as medidas de controle que estão sendo adotadas pelo Estado e pela Capital são de alta confiabilidade, de forma que a doença tende a não aumentar. “O ideal é não haver epidemia. Todos os esforços são neste sentido. É preciso que a população se eduque e elimine os focos do mosquito, independentemente do valor a ser pago pelo governo para a assistência a dengue. O mais importante é preservar a saúde dos cidadãos, com medidas preventivas”, ressaltou. De acordo com o presidente do Sindhospital, a média de internação em Alagoas deveria ser correspondente a 9% da população, mas encontra-se em 7,5%, mesmo assim, com o agravante da falta de pagamento. “Atualmente cerca de quatro mil pessoal deixam de ser internadas por causa do limite do teto financeiro dos hospitais”, concluiu.

Mais matérias
desta edição