app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Falta de regulamenta��o deixa PM fora de miss�es

O sargento da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), Joselito Cota da Silva, declarou, ontem, que se vê impossibilitado de participar de outras missões de paz, como as forças-tarefa en-viadas pelas Organizações das Nações Unidas (ONU) a Moçambique e Timor Le

Por | Edição do dia 01/03/2002 - Matéria atualizada em 01/03/2002 às 00h00

O sargento da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), Joselito Cota da Silva, declarou, ontem, que se vê impossibilitado de participar de outras missões de paz, como as forças-tarefa en-viadas pelas Organizações das Nações Unidas (ONU) a Moçambique e Timor Leste, que ele participou. O Brasil fez parte das expedições, enviando voluntá-rios, inclusive de Alagoas. Segundo o sargento, a não regulamentação de uma lei estadual impede o seu ingresso em novas missões no exterior. Joselito Cota afirmou que um projeto de lei que já está pronto resolveria o impasse. Contudo, ainda não foi encaminhado à Assembléia Legislativa de Alagoas para ser apre-ciado e aprovado. “Nós temos um projeto de lei pronto que vamos levar para a Assembléia apreciar. Assim, poderemos servir como voluntários em outros países em conflito e ajudar as populações que vivem em situação de extrema pobreza e miséria”, ressaltou o sargento. O sargento ressalta a recepção do povo e as dificuldades encontradas. “Eles adoram os brasileiros, sempre fomos muito bem recebidos pela população nas missões em que servimos. Nossa maior dificuldade foi em relação às milícias que atuam nessas localidades. No Timor Leste eles não permitiam nem que ensinássemos as pessoas como se vota. Os mutilados de Moçambique impressionam muito e fazem até a gente crescer como pessoa”, finalizou.

Mais matérias
desta edição