app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Vetor da dengue est� presente nos 102 munic�pios

Os 102 municípios alagoanos possuem a presença do vetor transmissor da dengue, sendo que 45 deles são cidades com casos já notificados este ano. A afirmação é da coordenadora do Núcleo Estadual da Vigilância Epidemiológica, Cleide Moreira, em sessão espe

Por | Edição do dia 01/03/2002 - Matéria atualizada em 01/03/2002 às 00h00

Os 102 municípios alagoanos possuem a presença do vetor transmissor da dengue, sendo que 45 deles são cidades com casos já notificados este ano. A afirmação é da coordenadora do Núcleo Estadual da Vigilância Epidemiológica, Cleide Moreira, em sessão especial realizada ontem na Câmara Municipal de Maceió. Cleide divulgou ainda que este período registrou um aumento de aproximadamente 80% no número de casos da doença, em relação ao mesmo período nos anos de 2000 e 2001. “No ano de 2000, nos meses de janeiro e fevereiro, registramos 161 casos da doença, já em 2001 neste mesmo período foram registrados 292, e em 2002, 557 casos”, informou Cleide, alegando que este aumento não significa uma epidemia. “O que aconteceu é que decorrente a situação que outras capitais vêm sofrendo com o aumento da doença, estamos trabalhando de uma maneira mais fiscalizadora, mas posso garantir que no momento Maceió não vive uma epidemia de dengue”, acrescentou. Apesar de o momento ainda não ser crítico, a Câmara Municipal de Maceió resolveu trazer este tema para debate em plenário, acatando proposta do vereador Thomaz Beltrão. Segundo o secretário-adjunto de Saúde no município, Adeilson Loureiro, o município vem trabalhando diariamente no combate ao mosquito da dengue. “Estamos utilizando de todos os recursos tanto de pessoal como material para evitar um surto da doença na cidade. Temos 500 agentes que fazem o trabalho de visita domiciliar, e 16 carros fumacê, trabalhando diariamente em todos os bairros da Capital”, falou Adeilson, alertando que se preciso for a secretaria vai adotar medidas ainda mais fortes, como a aplicação de inseticida por via área, para evitar uma epidemia. Thomaz Beltrão questionou ainda um possível surto de dengue hemorrágico, tento em vista que dos novos casos suspeitos da doença sete foram registrados na capital alagoana. O lactologista e assessor técnico da Secretaria Estadual de Saúde Celso Tavares também teme um surto de dengue hemorrágica em Maceió. “Tenho uma grande preocupação com a capacitação dos profissionais de Saúde para identificar casos de dengue hemorrágica e evitar que por falta de um tratamento específico os pacientes possam morrer”. Segundo ele, hoje existe uma banalização da doença, e muitas vezes o paciente com um quadro clínico de dengue é tratado como se fosse uma simples virose. “Se a pessoa sentir febre, dores no corpo e uma fraqueza muito forte deve procurar, imediatamente, cuidados médicos”, afirmou.

Mais matérias
desta edição