app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

AL rende homenagens a Zumbi

O Dia da Consciência Negra, comemorado hoje, em todo o Brasil, tem um mote diferente em Alagoas. Quem subir o alto da Serra da Barriga, em União dos Palmares, vai sentir a presença marcante da história do líder Zumbi, considerado um mito para a libertação

Por | Edição do dia 20/11/2014 - Matéria atualizada em 20/11/2014 às 00h00

O Dia da Consciência Negra, comemorado hoje, em todo o Brasil, tem um mote diferente em Alagoas. Quem subir o alto da Serra da Barriga, em União dos Palmares, vai sentir a presença marcante da história do líder Zumbi, considerado um mito para a libertação de negros escravizados no Quilombo dos Palmares. As homenagens começaram há uma semana, mas é hoje que ganham um clima de festa. Cerca de 10 mil pessoas, entre religiosos de matriz africanas, líderes de movimentos da raça negra, simpatizantes e autoridades políticas do Brasil todo são esperados na serra. Quando o sol estiver prestes a raiar, uma tradicional cerimônia religiosa começa. Cerca de 300 membros do Candomblé e da Umbanda reverenciam os ancestrais. No início da manhã, o culto vai ser em homenagem aos ancestrais africanos (Iségún Káwójuba). Em seguida, o grupo segue em cortejo, liderado por 80 yalorixás locais, e sobem a Serra da Barriga, onde serão recebidos com grande festa. Capoeiristas acompanham o trajeto. A chegada deles abre, oficialmente, a visitação ao Parque Memorial Quilombo dos Palmares. Depois, todos tomam um café da manhã no restaurante. A celebração específica a Zumbi contará com a colocação de uma coroa de flores na estátua do líder e uma salva de tiros. A programação inclui discursos de autoridades presentes e apresentações artística e cultural. Ao longo do dia, grupos negros e diversas rodas de capoeira se apresentam no palco armado na serra. À noite, a festa conta com a Orquestra de Tambores de Alagoas, Luana Costa e Banda 7 Flechas, Igbonan Rocha (Samba das Bambas), grupo Samba Alagoas e Fundo de Quintal (RJ). O acesso à Serra da Barriga continua sendo a maior preocupação dos organizadores do evento. A subida de 9km até o topo segue sem asfalto, mesmo com a promessa e o anúncio do envio do recurso para melhorias.

Mais matérias
desta edição