app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Obra no antigo Alagoinhas deve come�ar em tr�s meses

A construção do Marco Referencial de Maceió, no espaço do antigo Alagoinhas, na Ponta Verde, deve começar em três meses, caso não haja novo obstáculo à liberação de R$ 11 milhões dos R$ 17 milhões do governo federal previstos para a execução do projeto, q

Por | Edição do dia 15/05/2015 - Matéria atualizada em 15/05/2015 às 00h00

A construção do Marco Referencial de Maceió, no espaço do antigo Alagoinhas, na Ponta Verde, deve começar em três meses, caso não haja novo obstáculo à liberação de R$ 11 milhões dos R$ 17 milhões do governo federal previstos para a execução do projeto, que deveria ter sido materializado em 2013. Os R$ 11 milhões necessários à viabilização da primeira etapa da construção sairão do orçamento do Ministério da Integração Nacional, segundo a secretária de Infraestrutura de Alagoas, Maria Aparecida Machado. “Segunda-feira próxima, vamos a Brasília cobrar a liberação do recurso”, disse. Como não há, ainda, garantia de liberação dos R$ 17 milhões anteriormente orçados, Aparecida Machado explica que o governo fez opção pela “modulação” do projeto: está dividido em duas etapas. A primeira, orçada em R$ 11 milhões, deve começar em três meses. Os recursos seriam, neste caso, liberados com o avançar da construção. “A gente tem que correr para a liberação dos recursos para a primeira etapa e para a segunda também”, afirmou à Gazeta, ontem à noite, depois de reunião com o governador Renan Filho. “De acordo com o cronograma da obra, o prazo para conclusão da primeira parte é de dez meses, contados a partir de seu início”, complementou demonstrando otimismo. Na última quarta-feira, operários deram início à limpeza do espaço, objetivando evitar riscos de acidentes e frear a prática de ações criminosas. “Para evitar a queda da estrutura do teto, mandamos limpar o quanto antes”, comentou Aparecida Machado, referindo-se à combalida estrutura do clube social em que ilustres da sociedade maceioense desfrutavam, até o início da década de 1990, de lazer, entre as praias de Ponta Verde e Pajuçara.

Mais matérias
desta edição