app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Cidades

Crescem casos de crimes cibern�ticos em Alagoas

Há cerca de quatro meses, a estudante de Administração Vitória Mendonça, 21, foi vítima de um furto no ônibus. Assim como a maioria das pessoas, ela só se deu conta do que aconteceu quando chegou ao trabalho e percebeu que a carteira com todos os seus doc

Por | Edição do dia 24/05/2015 - Matéria atualizada em 24/05/2015 às 00h00

Há cerca de quatro meses, a estudante de Administração Vitória Mendonça, 21, foi vítima de um furto no ônibus. Assim como a maioria das pessoas, ela só se deu conta do que aconteceu quando chegou ao trabalho e percebeu que a carteira com todos os seus documentos e cartões de crédito havia sumido. Na tentativa de evitar problemas, imediatamente, a jovem ligou para as operadoras com a intenção de bloqueá-los. No entanto, não obteve sucesso. Dias depois, a surpresa: a fatura chegou com uma compra que ela não havia feito, no valor de R$ 800. A desconfiança, segundo a estudante, é de que os assaltantes tenham usado a internet para efetuar compras visto que o seu cartão possuía senha. “Só pode ter sido isso, pois nem eu conseguia comprar nas lojas sem a senha. Fui à delegacia para registrar Boletim de Ocorrência, mas ficou por isso mesmo. Tive que tirar a segunda via de todos os cartões e ainda precisei pagar a dívida que eles fizeram”, lamentou a moça. Problemas como os de Vitória poderiam ter soluções mais rápidas se a Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos, existente em diversas regiões do País, tivesse saído do papel em Alagoas. Enquanto o projeto continua em fase de discussão, os crimes que acontecem no mundo virtual estão crescendo com bastante rapidez no Estado. De acordo com o delegado Guilherme Iusten, responsável pela Seção de Combate a Roubos a Bancos (Serb), que trata também de crimes contra direitos autorais e crimes de internet, há muitos casos de denúncia por delitos em redes sociais, como Facebook e Instagram, e esse número está aumentando nos últimos meses. “Infelizmente, ainda não temos números exatos e oficiais que comprovam o crescimento das denúncias. Em contrapartida, como estamos na ativa todos os dias, podemos afirmar que essa quantidade tem aumentando significativamente quando comparamos, por exemplo, com anos anteriores. As pessoas estão mais informadas e procurando os direitos, atribuo isso também à internet”, disse o delegado. * Sob supervisão da editoria de Cidades.

Mais matérias
desta edição