app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Cidades

MP investiga den�ncia de irregularidades no Samu

O objetivo inicial do Inquérito Civil Público instaurado pelo Ministério Público Estadual (MPE) tem como alvo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no município de Rio Largo. Com fundamento em denúncias formuladas pelo Sindicato de Auxiliares

Por | Edição do dia 27/05/2015 - Matéria atualizada em 27/05/2015 às 00h00

O objetivo inicial do Inquérito Civil Público instaurado pelo Ministério Público Estadual (MPE) tem como alvo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no município de Rio Largo. Com fundamento em denúncias formuladas pelo Sindicato de Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Alagoas (Sateal), os promotores de Justiça Jorge Luiz Bezerra e Tácito Yuri, da 2ª Promotoria de Justiça, investigam se o serviço está sendo feito sem a presença de médicos e enfermeiros e em condições insalubres. Mas a investigação pode se estender se forem confirmadas irregularidades apontadas num relatório da própria Vigilância Sanitária do município, que vistoriou toda a estrutura física da rede de Saúde. “Estamos aguardando as informações para verificar cada uma das situações apontadas”, disse, ontem, o promotor Tácito Yuri. Segundo ele, a prefeitura já foi notificada e, inicialmente, deve apresentar documentos referentes à denúncia do Sateal acerca dos problemas no Samu. Os promotores solicitaram o termo do convênio entre Rio Largo e o Estado para funcionamento do serviço, os nomes, tipo de vínculo (efetivos/contratados/comissionados) e salários pagos no mês de abril último de todos os funcionários. A lista inclui ainda informações sobre carga horária e regime de trabalho de cada servidor, cópia da Carteira de Habilitação dos motoristas, e o registro de atendimento de ocorrências no mês de abril/2015.

Mais matérias
desta edição