app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Cidades

Livro cataloga esp�cies da regi�o

Cerca de 80 botânicos, outros biólogos e cientistas de várias áreas de estudo enveredam por esta mata e, sem exceção, voltam para suas universidades e instituições de pesquisa boquiabertos com a pujança de vida no local. O resultado de três décadas de pes

Por | Edição do dia 07/06/2015 - Matéria atualizada em 07/06/2015 às 00h00

Cerca de 80 botânicos, outros biólogos e cientistas de várias áreas de estudo enveredam por esta mata e, sem exceção, voltam para suas universidades e instituições de pesquisa boquiabertos com a pujança de vida no local. O resultado de três décadas de pesquisa está reunido num livro de 774 páginas que a Associação Nordesta desenvolveu em parceria com o Conservatório e Jardim Botânico de Genebra (CJBG). Trata-se de um inventário preliminar com todas as espécies catalogadas pelos cientistas nos últimos 30 anos. A obra assinada por Anita Studer, Louis Nusbaumer e Rodolphe Spichiger, da editora Boissiera, teve a colaboração de mais de 200 especialistas. Anita Studer não esconde a felicidade ao dizer que conseguiu recursos para publicar a obra em português (e não em inglês ou francês, como seria mais provável). “É um livro para o povo daqui ler”, destaca a ornitóloga suíça. Segundo ela, o livro-inventário Biodiversidade da Reserva Biológica da Pedra Talhada deve ser lançado no próximo mês de setembro, em Maceió, em data e local a ser divulgado por meio de entrevista coletiva com a imprensa. Todas as pesquisas reunidas no inventário foram financiadas pela Nordesta. O diretor do CJGB, Pierre-André Loiseau, destaca a importância do trabalho desenvolvido nas últimas três décadas para salvar a reserva. E todos os esforços travados pela Nordesta e seus parceiros recebem agora, com esse inventário, um reforço de peso. No prefácio da obra, Pierre-André pontua que todas as observações realizadas pelos cientistas sirvam “para convencer as autoridades políticas e administrativas do valor da reserva e, assim, ajude a manter, e até a reforçar, o ideal da conservação desse importante remanescente de Mata Atlântica”. O livro se torna um documento importante e riquíssima fonte de pesquisa sobre a fauna e a flora. “Esperamos também que os professores possam utilizá-lo como um instrumento para a sensibilização das futuras gerações para a necessidade de preservar a floresta”, conclui o diretor do Conservatório de Genebra.

Mais matérias
desta edição