app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Cidades

Primeiro passo j� foi dado

“Quando a gente fala assim, parece uma visão muito longe, mas é como uma estrada comprida, uma hora você tem que dar o primeiro passo. Para sonhar, o primeiro passo sempre é o mais fácil”, diz Anita, sobre o sonho amazônico. Após o início da jornada, em

Por | Edição do dia 14/06/2015 - Matéria atualizada em 14/06/2015 às 00h00

“Quando a gente fala assim, parece uma visão muito longe, mas é como uma estrada comprida, uma hora você tem que dar o primeiro passo. Para sonhar, o primeiro passo sempre é o mais fácil”, diz Anita, sobre o sonho amazônico. Após o início da jornada, em Quebrangulo, a Nordesta cresceu, atua em outros países e está presente em 16 estados do Brasil, inclusive com ações de reflorestamento no caminho entre Alagoas e a Floresta Amazônica, como Maranhão, Piauí, a reserva estadual do Jalapão, em Tocantis, e partes da Região Norte. Por enquanto, ela afirma que o maior projeto da Associação hoje é o reflorestamento das nascentes do Velho Chico, em Minas Gerais. “Nas ações pelo Brasil, temos a estimativa de plantar 6 milhões de árvores”, diz. Quem pensa que a Amazônia pode ser um sonho muito distante ou “doidice da galega” não conheceu Anita Studer de perto. Ela já reúne argumentos científicos para buscar apoios e financiamentos. “É comprovado que tempos atrás havia conexões entre essa mata de Quebrangulo com a Amazônia. Tanto que existem espécies de fauna e flora típicas da maior floresta do mundo na pequena concorrente em biodiversidade.

Mais matérias
desta edição