app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Cidades

PM � sepultado com honras militares

Metade da vida dedicada à Polícia Militar e grande parte da família integrante da segurança pública de Alagoas, o sargento José Almir Albuquerque Torres, de 45 anos, que estava cedido à Força Nacional em Goiás, foi sepultado, na tarde de ontem, com honras

Por | Edição do dia 20/08/2015 - Matéria atualizada em 20/08/2015 às 00h00

Metade da vida dedicada à Polícia Militar e grande parte da família integrante da segurança pública de Alagoas, o sargento José Almir Albuquerque Torres, de 45 anos, que estava cedido à Força Nacional em Goiás, foi sepultado, na tarde de ontem, com honras militares. Familiares e amigos, bastante emocionados, prestaram a última homenagem, que contou com a presença do secretário de Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça, e do comandante-geral da PM/AL, coronel Lima Júnior. Almir Torres morreu na última terça-feira, 18, vítima de um acidente de trânsito ocorrido na BR-040, no município de Cristalina (GO), no momento em que se deslocava para a troca de viaturas da Força Nacional em Brasília. Ele era lotado no 5º Batalhão da Polícia Militar (5º BPM), localizado no complexo do Benedito Bentes, em Maceió, e estava a serviço da Força Nacional desde 2014, e há 6 meses no Distrito Federal. Bastante emocionado, o irmão do militar, Alex Torres, disse que Almir era um policial exemplar e que precisou se dedicar muito para ser admitido na Força Nacional. A notícia da morte dele foi dada por meio de um irmão mais velho, que também é da PM. “Gostaria muito que meu irmão fosse homenageado, mas não nessas circunstâncias. Ele foi um policial exemplar e dedicou mais de 20 anos de sua vida à carreira militar”, disse. O comandante-geral da PM, coronel Lima Júnior, disse que a morte de Almir deixou todos os militares da corporação enlutados, porque, segundo ele, não se perde apenas um colega de trabalho, mas, sim, um “irmão” para todos. Já o diretor da Força Nacional, coronel Nazareno Marceneiro, afirmou que Torres sempre agiu com total dedicação nas operações de que participou, desencadeadas pelo Ministério da Justiça. O oficial disse, ainda, que o condutor que teria causado o acidente tem 81 anos e se mostrou ‘abalado’ com a morte do sargento, após a colisão.

Mais matérias
desta edição