app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5732
Cidades

Dez estabelecimentos s�o autuados em AL

Cinco postos de combustíveis e cinco revendedoras de gás GLP foram interditados ou tiveram as atividades suspensas parcialmente devido a irregularidades em suas atividades comerciais, no Estado. Três desses estabelecimentos ficam em Rio Largo, na região m

Por | Edição do dia 03/09/2015 - Matéria atualizada em 03/09/2015 às 00h00

Cinco postos de combustíveis e cinco revendedoras de gás GLP foram interditados ou tiveram as atividades suspensas parcialmente devido a irregularidades em suas atividades comerciais, no Estado. Três desses estabelecimentos ficam em Rio Largo, na região metropolitana de Maceió. As interdições são resultado da força-tarefa nomeada “Operação Bomba Certa”, formada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Secretaria da Fazenda, Procon e Instituto de Metrologia e Qualidade de Alagoas (Inmeq). A operação, que ocorre nas maiores cidades do Estado, teve início no último dia 1º e se estende até amanhã. Até o momento, foram fiscalizados cerca de dez postos de combustíveis e 26 revendas de GLP. “Nesses primeiros dias de operação, encontramos algumas irregularidades nos postos de combustíveis, principalmente com questões fiscais envolvendo a Secretaria da Fazenda, por exemplo. Algumas unidades estão impedidas de realizar vendas no cartão, porque não estavam prestando contas ao órgão quando utilizavam essa forma de transação financeira”, explica Roberto Dias, fiscal do Procon. A principal razão da interdição das revendedoras de gás de cozinha acontece por não atenderem aos requisitos mínimos de segurança da ANP. Os estabelecimentos são submetidos a vistoria para verificar a forma como os botijões estão sendo comercializados. Caso os produtos estejam, de alguma forma, sendo danificados, amassados, enferrujados ou fora do prazo de validade, a venda é suspensa. “Eles devem estar lacrados e conter a inscrição da marca da distribuidora em alto-relevo, nome e telefone da distribuidora e rótulo com instrução de uso”, ressalta Dias. * Sob supervisão da editoria de Cidades.

Mais matérias
desta edição