app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Cidades

For�a-tarefa co�be ‘biguzeiros’

As constantes ameaças sofridas por motoristas de caminhões das empresas que recolhem o lixo de Maceió geraram uma operação desencadeada pela Prefeitura Municipal e Polícia Militar para coibir as ações de crianças e adolescentes que pegam “carona” nos cami

Por | Edição do dia 04/09/2015 - Matéria atualizada em 04/09/2015 às 00h00

As constantes ameaças sofridas por motoristas de caminhões das empresas que recolhem o lixo de Maceió geraram uma operação desencadeada pela Prefeitura Municipal e Polícia Militar para coibir as ações de crianças e adolescentes que pegam “carona” nos caminhões até o aterro sanitário, localizado no Benedito Bentes, parte alta da capital. Os chamados ‘biguzeiros’ obrigam os condutores a parar os veículos para que eles possam subir, caso contrário arremessam pedras ou qualquer outro objeto, além de partirem para a agressão física e verbal. De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Cargas de Alagoas, José Wilson da Silva, além das ameaças, também são registrados acidentes com os jovens que pegam carona nos caminhões, inclusive este ano um adolescente morreu ao cair e o veículo passar por cima. “Além da segurança dos nossos motoristas, pensamos na integridade destes jovens que pegam carona nos caminhões. Qualquer descuido pode se tornar uma tragédia. Esses jovens se jogam na frente dos carros e obrigam os motoristas a parar para que eles subam. Se não param, jogam pedras, pedaços de madeira ou qualquer objeto que esteja próximo e quebram tudo. E a empresa ainda desconta isso do salário do trabalhador. Muitos estão pedindo demissão e até indo embora de Alagoas com medo”, disse José Wilson. Participaram da ação representantes da Secretaria Municipal de Proteção ao Meio Ambiente (Sempma), Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum), Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Conselho Tutelar e Juizado da Infância e da Juventude.

Mais matérias
desta edição