app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Cidades

CB inspeciona lojas no Centro

A recorrência de incêndios em lojas do centro de Maceió fez com que equipe do Corpo de Bombeiros intensificassem a inspeção nos estabelecimentos localizados no calçadão do comércio. Ontem, 12 lojas foram notificadas por problemas detectados nos projetos d

Por | Edição do dia 11/09/2015 - Matéria atualizada em 11/09/2015 às 00h00

A recorrência de incêndios em lojas do centro de Maceió fez com que equipe do Corpo de Bombeiros intensificassem a inspeção nos estabelecimentos localizados no calçadão do comércio. Ontem, 12 lojas foram notificadas por problemas detectados nos projetos de segurança contra incêndio e pânico. Destas, nove são reincidentes, ou seja, já foram comunicadas de que precisavam regularizar a situação e, por isso, serão multadas. A denúncia será formalizada, nos próximos dias, ao Ministério Público Estadual (MPE). Outros três estabelecimentos inspecionados estavam em conformidade com as regras. Das que foram notificadas, algumas lojas estavam sem o projeto, outras com o documento vencido (ele deve ser revisado e solicitado anualmente) ou sem o devido certificado expedido pela corporação. Os donos têm prazo de 30 dias – prorrogáveis por igual período – para iniciar o processo de regularização. As empresas multadas devem pagar o tributo antes de rever os procedimentos e adequar-se às normas de segurança, obrigatórias por lei sem qualquer exceção. “Fiscalizamos 15 empresas situadas no calçadão do comércio, na mesma rua. Os proprietários devem ter a consciência de que devem ter um projeto de segurança, contendo nele as rotas de fuga em caso de qualquer incidente. O projeto deve ser assinado por um profissional capacitado, enviado ao Corpo de Bombeiros para análise e, caso seja aprovado, é devolvido à loja para que seja posto em prática”, esclareceu o major Roberto Wanderley, chefe da Seção de Vistorias dos Bombeiros. Segundo ele, as novas microempresas que são abertas mediante orientação do Sebrae já solicitam o programa como uma regra a ser executada durante o processo.

Mais matérias
desta edição