app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Novo lix�o amea�a bairro de Cruz das Almas

Um novo lixão está surgindo em Maceió a pouco mais de 300 metros do já existente em Cruz das Almas. O aparecimento do novo lixão começa a causar danos ambientais e incômodo aos moradores da região. Os mais prejudicados são os residentes no Loteamento V

Por | Edição do dia 10/03/2002 - Matéria atualizada em 10/03/2002 às 00h00

Um novo lixão está surgindo em Maceió a pouco mais de 300 metros do já existente em Cruz das Almas. O aparecimento do novo lixão começa a causar danos ambientais e incômodo aos moradores da região. Os mais prejudicados são os residentes no Loteamento Vista do Atlântico, em Jacarecica, que viram ao poucos o que era apenas um local para coleta de material reciclado se transformar num grande depósito de lixo. Os moradores do Condomínio Vista do Atlântico, formado por cerca de 50 propriedades, têm uma vista privilegiada para o mar, em compensação começam a conviver com uma vizinhança incômoda de urubus e sofrem com a invasão das moscas, por causa do novo lixão. O empresário Marcelo Tavares afirma que vários proprietários de estabelecimentos comerciais estão jogando lixo no local, inclusive hospitais. “Os hospitais pequenos estão vindo jogar lixo nesse novo lixão clandestino”. Alguns moradores informaram que já chegaram a ver, inclusive, carros de empresas de limpeza privada jogando lixo no local. Erosão O novo lixão também ameaça contaminar o lençol freático da região e o Rio Jacarecica, que despeja suas águas no mar, porque se localiza no buraco provocado pela erosão de barreira. “Há cerca de um ano, quando mandamos perfurar um poço, a análise da água teve como conclusão própria para consumo. Agora, a mesma empresa fez a análise e constatou que a água já se encontra imprópria para consumo”, observa Tavares. Os moradores do condomínio estão fazendo um apelo para que os órgãos competentes, como a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Instituto do Meio Ambiente, compareçam ao local para fazer uma avaliação da situação. Caso esse apelo não seja atendido, eles pretendem recorrer ao Ministério Público. “Maceió é a única capital do mundo que tem um lixão”, ironiza Marcelo Tavares.

Mais matérias
desta edição