Nº 4227
Cidades

Alagoas deve ter 630 novos casos de câncer de próstata este ano

Campanha do ‘Novembro Azul’ tem ajudado a diminuir os números de mortes causados por este tipo de doença

O mês de novembro chegou e, com ele, uma campanha dedicada à saúde do homem e, principalmente, à prevenção do câncer de próstata, foi iniciada. No Brasil, a doença é uma das principais causas de mortes entre os homens. Por isso, há uma intensa mobilização ao longo do mês, em especial em Alagoas. Segundo estimativa divulgada a cada biênio pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), devem aparecer 630 casos novos no Estado em 2019. Desse total, 220 podem ser contabilizados em Maceió.

Realizada em todo o mundo, a campanha denominada de ‘Novembro Azul’ tem ajudado a diminuir os números de mortes causados por este tipo de câncer, assim como o seu aparecimento. Quando mais cedo verificado, mais chance de cura o portador da doença terá.

De acordo com o Urologista Arthur Dantas, o câncer de próstata define-se como um tumor maligno das células epiteliais da próstata. “A próstata possui basicamente duas zonas anatômicas - zona periférica e zona estromal. O tumor maligno da próstata, por sua vez, acomete a zona periférica. No entanto, não existe uma causa específica para o câncer de próstata e, sim, fatores de risco”, disse ele, que acrescenta:

“A predisposição dos indivíduos a essa doença está ligada à hereditariedade e a questão da raça em que, apesar de não haver uma explicação definida, a incidência de mortalidade do câncer de próstata entre pessoas negras é maior. Além da obesidade, pois homens obesos têm uma maior probabilidade de desenvolver tipos de tumores malignos mais agressivos”, expôs.

O médico diz, ainda, que  todo homem, a partir de 40 anos, precisa ficar atento aos exames preventivos para a doença, conhecidos como PSA sanguíneo e o Toque Retal. Contudo, o PSA tem como principais funções verificar a presença de um câncer de próstata e o andamento da doença, mas também é um marcador comum para outras anomalias da próstata.

“É importante frisar que o PSA e o Toque Retal são sempre o ponto de partida obrigatório na prevenção. O exame digital da próstata também é importantíssimo para o diagnóstico de nódulos endurecidos na próstata, que podem sugerir câncer. Ele auxilia, ainda, no diagnóstico de tumores malignos da próstata que não mostram no PSA”, explicou. 

Sobre o preconceito por parte de alguns homens em fazer o exame do toque, Arthur esclarece que o problema insiste devido à falta do acesso de informação básica sobre a doença. “Para nossa sorte, boa parte da população têm procurado o médico urologista para a realização do PSA e, principalmente, o Toque Retal. O medo da mortalidade do câncer de próstata não tratado de forma precoce têm conscientizado a população masculina. O Jornalismo, Internet e redes sociais têm auxiliado na divulgação de uma informação séria e ética sobre a doença para nossos pacientes”, inteirou. 

O urologista ressalta que a incidência do câncer de próstata aumenta consideravelmente a partir dos 50 anos de idade. Sendo assim, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)  recomenda a consulta preventiva para homens com 45 anos de idade e pacientes da raça negra ou com parentes de primeiro grau com a doença.

Por fim, Dantas esclarece que há  inovações no tratamento da doença. “O câncer de próstata localizado pode ser tratado através de cirurgias com técnicas minimamentes invasivas. Destas, a cirurgia laparoscópica assistida por um robô, em que há uma melhor visualização da anatomia da próstata pelo cirurgião, além de oferecer uma chance de cura do câncer quando o mesmo encontra-se em estágios iniciais”, concluiu. 

TRATAMENTO

Em Alagoas, na esfera do SUS, o tratamento pode ser feito na Santa Casa de Misericórdia de Maceió, e por meio de convênios ou particular, o Hospital Cliom é equipado com os melhores especialistas da área de Urologia, Oncologia e Radioterapia.

Outros fatores podem aumentar o risco da pessoa desenvolver o câncer de próstata como a idade e algumas alterações genéticas hereditárias como, por exemplo, mutações dos genes BRCA-1 ou BRCA-2 - que podem aumentar o risco de próstata em alguns homens -, tabagismo, inflamação da próstata e etc.

ROTINA

O aposentado Jobson Barros, de 62 anos, não é portador da doença, mas,  nem por isso, deixa de realizar os exames de prevenção anualmente. Segundo ele, as consultas começaram há 20 anos e, de lá pra cá, não faltou a nenhuma. “O índice da doença está muito alto, por isso é sempre bom fazer os exames”, frisou. 

Ele continua afirmando que, nas consultas, opta pelos exames de PSA e o Toque Retal, a fim de descartar qualquer anomalia. “Eu faço o completo, pois é sempre bom se prevenir e descartar os medos. Também não tenho problemas em realizar o toque, já que muitos homens têm esse receio. Sempre digo ao meu médico que estou acostumando. Esse ano já fiz os exames e já estou no aguardo da próxima consulta”, falou entre risos. 

Jobson também assegura que incentiva os amigos para marcarem presença nas consultas e, posteriormente, realizarem os procedimentos médicos necessários. “Eu sempre aconselho, porque o que não quero para mim, não desejo ao próximo. Relato para os meus amigos que os exames são simples e rápidos, e que o médico está sempre disposto a ajudar”. 

CAMPANHA

A partir deste mês de novembro diversas ações serão promovidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Maceió. O intuito será intensificar os atendimentos nas unidades de referência, nos ambulatórios de urologia nos distritos sanitários e ainda um dia D, no próximo dia 23, com atividades de atendimento com urologistas e clínicos.

Mais matérias
desta edição