app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Cidades

Programa do BID d� in�cio a obras em favela

O sonho de possuir condições dignas de moradia, perseguido pela totalidade da população carente no País, começa a virar realidade para mais de dois mil habitantes que hoje vivem no conjunto Denisson Menezes, um bolsão de miséria localizado no bairro Cidad

Por | Edição do dia 17/03/2002 - Matéria atualizada em 17/03/2002 às 00h00

O sonho de possuir condições dignas de moradia, perseguido pela totalidade da população carente no País, começa a virar realidade para mais de dois mil habitantes que hoje vivem no conjunto Denisson Menezes, um bolsão de miséria localizado no bairro Cidade Universitária, em Maceió. As obras de urbanização do conjunto serão iniciadas esta semana, financiadas pelo Programa Habitar Brasil/BID que, incluindo a contrapartida da Prefeitura, vai empregar R$ 6,6 milhões para mudar os padrões de habitabilidade da favela e elevar a qualidade de vida dos seus moradores. O projeto de urbanização determina a substituição de todos os barracos de lona e madeira por casas de alvenaria, dotadas de abastecimento de água, energia elétrica e esgotamento sanitário. O conjunto receberá a infra-estrutura básica de drenagem, saneamento e pavimentação. Também serão construídos os chamados “aparelhos comunitários” como escola, creche, posto médico, PM-Box, centro comunitário e praças com quadras esportivas. O contrato para execução das obras foi assinado na última quarta-feira entre a Prefeitura de Maceió, através da Secretaria Municipal de Habitação e Saneamento, e a Construtora Chistiano Cintra. Com a intervenção do programa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) a realidade das 564 famílias que vivem na área sofrerá profundas mudanças. Além do investimento na infra-estrutura o Habitar Brasil/BID determina a implantação de projetos sociais e de geração de emprego e renda. A comunidade já está recebendo capacitação para executar, por exemplo, trabalhos na área da construção civil, o que possibilitará seu aproveitamento nas obras de urbanização do próprio conjunto.

Mais matérias
desta edição