app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Concurso da PM: entrega de cart�es registra novo tumulto

Tumulto, empurrões e conflitos entre os candidatos que tentavam receber o cartão de inscrição do concurso da Polícia Militar e policiais que tentavam organizar as filas quilométricas nas ruas próximas à Escola Rosalvo Ribeiro, em Jatiúca. Enquanto um

Por | Edição do dia 20/03/2002 - Matéria atualizada em 20/03/2002 às 00h00

Tumulto, empurrões e conflitos entre os candidatos que tentavam receber o cartão de inscrição do concurso da Polícia Militar e policiais que tentavam organizar as filas quilométricas nas ruas próximas à Escola Rosalvo Ribeiro, em Jatiúca. Enquanto uma multidão se revoltava contra a empresa Consultec, responsável pelo concurso e a situação desumana a que foram submetidos, o tenente-coronel, José Praxedes, comandante do Batalhão Escolar, tentava negociar a suspensão da distribuição dos cartões com o objetivo de descentralizar o trabalho. “Estamos tentando conter o pessoal e manter a ordem, mas a população está revoltada, porque são cerca de 22 mil pessoas, e uma faixa de seis por dia que tentam receber os documentos”, disse Praxedes. Segundo ele, os PMs do Batalhão Escolar estão, inclusive, atendendo pessoas que desmaiam no local. De acordo com o tenente-coronel Praxedes, o trabalho está sendo feito com morosidade e requer a montagem de uma nova estratégia para ter continuidade. O representante da Consultec, Júlio Davi, garantiu que a empresa estaria tentando uma outra estratégia de atendimento. Nas ruas, sob as mudanças bruscas de tempo, alternando-se sol e pancadas fortes de chuvas, pessoas, a maioria jovens em busca da chance de ter um emprego, atravessavam quarteirões inteiros em filas. Muitos sugeriram que a entrega dos cartões fosse feita nas várias escolas do Ceagb. “No Ceagb, a gente estaria livre de passar por essa humilhação e sofrimento, isso aqui é um absurdo total, uma coisa desumana”, falou o candidato Estefânio Mota. Antônio Ferreira, laboratorista, estava estressado por ter perdido o emprego, ao tentar, durante dois dias seguidos, receber o cartão. “Isso aqui é um desrespeito total, e uma empresa dessas não tem condições de atuar na realização de concursos”, falou, revoltado. As provas do concurso estão previstas para o próximo sábado, mas os candidatos, diante da dramática situação, exigem providências em relação à distribuição dos cartões.

Mais matérias
desta edição