Nº 0
Cidades

CAMPANHAS COMBATERÃO O ASSÉDIO

A chegada do carnaval, que deveria ser um período de alegria e muita folia, para as mulheres vêm se tornando um momento de medo. Dados divulgados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), obtidos através do Disque 100 (Disque Dir

Por william makaisy | Edição do dia 14/02/2020 - Matéria atualizada em 14/02/2020 às 09h58

A chegada do carnaval, que deveria ser um período de alegria e muita folia, para as mulheres vêm se tornando um momento de medo. Dados divulgados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH), obtidos através do Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e do Ligue 180 (Central de Atendimento a Mulher), mostram que durante o período de carnaval o assédio contra as mulheres cresce em 20%. Com base nesses dados o Conselho Estadual de Defesa das Mulheres (Cedim) vem trabalhando em campanhas de conscientização contra o assédio e realizará neste fim de semana dois ‘adesivaços”. Falar sobre o assédio, como conta Amanda Balbino, vice-presidente do Conselho Estadual de Defesa das Mulheres (Cedim), é algo de suma importância durante o ano inteiro, mas no carnaval o assunto tem que ser ainda mais debatido. “Quanto mais campanhas no sentido de tocar no assunto do assédio melhor. Claro, estamos falando aqui no período do carnaval por ser a época em que estamos vivendo e por ser um período em que os casos aumentam, mas temos que estar sempre tocando nesse assunto” “Tanto no Carnaval quanto no São João são períodos em que o número de assédios aumenta. Muitos homens procuram culpabilizar o álcool, justificando suas posturas machistas de assediar e de importunar as mulheres. É preciso que as pessoas tenham consciência de respeitar o espaço e o corpo do outro e entender que esse tipo de postura é inclusive criminalizada pelo código penal. Nosso objetivo é ter carnavais ou outras grandes festividades onde esses índices diminuam”, relatou a vice-presidente do Conselho, Amanda Balbino.

CAMPANHAS

Buscando conscientizar e tornar o assunto recorrente não somente no carnaval como também no ano inteiro, o Conselho Estadual de Defesa das Mulheres e do movimento Olga Benário vem fortificando as campanhas contra o assédio sofrido pelas mulheres durante essa época do ano, como explica Amanda Balbino. “Nós estamos no quarto ano da campanha ‘Carnaval sem assédio’, começamos em 2017. Já a campanha ‘Não é Não nós do Conselho abraçamos ano passado e vamos para a segunda edição esse ano”, informou a vice-presidente do Cedim.

Para promover as campanhas durante o carnaval o Movimento de Mulheres estará realizando na sexta-feira (14), o ‘adesivaço’, durante as prévias carnavalescas do Jaraguá Folia e no sábado (15), durante o Pinto da Madrugada. “Estaremos nas prévias do Jaraguá Folia realizando o ‘adesivaço’. Buscando informar e conscientizar sobre a campanha ‘Carnaval sem assédio’. Já no sábado (15), pela manhã, a campanha da ação ‘Não é Não’ vai ser desenvolvida durante o desfile do Pinto da Madrugada. Colocaremos um posto da Secretaria da Mulher para distribuir adesivos e materiais informativos sobre a Lei Maria da Penha. Teremos também atendimento para mulheres que forem vítimas de assédio durante o carnaval”, disse Amanda Balbino, que completou: “é bom ver que realmente está ocorrendo uma adesão das pessoas e elas estão falando sobre o assunto.”

* Sob supervisão da editoria de Cidades.

Mais matérias
desta edição