Nº 0
Cidades

FILHA DE POLICIAL SIMULA O PRÓPRIO SEQUESTRO

A filha de um policial civil simulou o próprio sequestro após se envolver em um acidente de trânsito. O episódio rapidamente viralizou nas redes sociais e mobilizou as forças policiais desde a madrugada desta quinta-feira (13), mas, na verdade, tudo não p

Por thiago gomes | Edição do dia 14/02/2020 - Matéria atualizada em 14/02/2020 às 10h07

A filha de um policial civil simulou o próprio sequestro após se envolver em um acidente de trânsito. O episódio rapidamente viralizou nas redes sociais e mobilizou as forças policiais desde a madrugada desta quinta-feira (13), mas, na verdade, tudo não passou de uma farsa. A provável vítima e mais dois comparsas foram levados para a sede da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC), em Maceió, e abriram o jogo. O delegado Thiago Prado informou que a garota teria simulado o crime para acobertar um acidente de trânsito, causado por ela mesma, na parte alta da capital, após ter dirigido embriagada. “Ela saiu da faculdade por volta das 22 horas, saiu para beber com amigos em um bar na orla e seguiu em direção ao Tabuleiro, quando colidiu com o carro em uma pedra e danificou as rodas. Com receio do pai, ela teria planejado o sequestro”.

No começo da madrugada, várias equipes policiais foram acionadas, inclusive a Delegacia de Homicídios da Capital, para verificar a situação. O veículo da jovem foi encontrado na região do Tabuleiro do Martins completamente revirado e com alguns pertences da suposta vítima, o que indicaria uma ocorrência de sequestro. O aparelho celular dela não foi localizado, reforçando a hipótese do provável crime.

No entanto, segundo o delegado Thiago Prado, buscas foram feitas e a garota foi encontrada na casa de um dos comparsas, no bairro do Clima Bom, onde confessou a trama. Os dois foram levados para a sede da Deic. Um terceiro envolvido no plano também foi conduzido. Em depoimento, a jovem confessou que passou a madrugada monitorando grupos de mensagens instantâneas e sabia que estava sendo procurada por ter sido vítima de um suposto sequestro. Mesmo assim, seguiu com o plano. A autoridade policial garantiu que o trio vai responder na Justiça pelo falso sequestro. Um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) foi confeccionado e eles serão liberados. Os três devem responder por falsa comunicação de crime, fraude processual (por ter manipulado o carro) e embriaguez ao volante.

Mais matérias
desta edição