app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

AL REGISTRA 67 NOVOS CASOS SUSPEITOS DE CORONAVÍRUS

Segundo boletim da Sesau, há 274 pacientes sendo investigados; casos confirmados permanecem 11

Por Hebert Borges | Edição do dia 27/03/2020 - Matéria atualizada em 26/03/2020 às 22h30

Permanece em 11 o número de casos de Covid-19 em Alagoas. Já os casos suspeitos chegou à marca de 274. As informações foram divulgadas na quinta-feira (26) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). No entanto, de acordo com as informações oficiais, dos 40 testes feitos na quinta-feira, sete apresentaram resultados inconclusivos e serão refeitos. Em um intervalo de 24 horas foram registrados 67 novos casos suspeitos. Nesta sexta-feira (27) completa um mês do primeiro caso suspeito no Estado. Os casos descartados em Alagoas somam 178. O número de municípios alagoanos com casos suspeitos já chega a 38. Dos 274 casos em investigação, 15 são de Arapiraca; 2 da Barra de Santo Antônio, 1 da Barra de São Miguel; 1 de Belém; 7 de Boca da Mata; 2 de Cajueiro; 6 de Campo Alegre; 1 de Colônia Leopoldina; 1 Coqueiro Seco; 2 de Flexeiras; 1 de Ibateguara; 1 de Igaci; 1 Jacuípe; 2 de Jequiá da Praia; 1 Jundiá; 184 de Maceió; 1 de Major Izidoro; 5 de Maragogi; 2 de Maravilha, 3 de Marechal Deodoro; 1 de Maribondo e 2 de Mata Grande. Ainda segundo o Boletim Epidemiológico 20, também existem 2 casos em investigação no município de Monteirópolis; 2 em Olho d’Água das Flores; 2 em Ouro Branco; 3 em Palmeira dos Índios; 1 em Paripueira; 1 Penedo; 1 Piaçabuçu, 1 em Piranhas; 2 em Poço das Trincheiras; 6 em Rio Largo; 5 em Santana do Ipanema; 1 em São José da Tapera; 1 em São Miguel dos Campos; 1 em Satuba; 1 em Teotonio Viela e 2 em União dos Palmares. Na quarta-feira (25) foi registrado o primeiro caso de Covid-19 no interior do Estado. Trata-se de uma jovem de 28 anos, da cidade de Porto Real do Colégio, região do Baixo São Francisco. Ela teria sido contaminada após contato com um homem de Propriá-SE. Por não saber a origem da contaminação de alguns casos, como o de uma mulher de 42 anos sem histórico de viagem, o Estado anunciou que já considera a contaminação comunitária em Alagoas até que se descubra a origem da contaminação destes casos. A informação foi dada pelo governador Renan Filho. Nesta sexta-feira (27) completa um mês do primeiro registro de suspeita de Covid-19 no Estado. No entanto, o primeiro caso confirmado no Estado foi registrado no último dia 8. O primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um mês nesta quinta-feira (26). Desde aquele registro inicial, o país chegou a mais de 2,9 mil infectados e ultrapassou a marca de 77 mortos, de acordo com o Ministério da Saúde. O primeiro óbito foi contabilizado em 17 de março. No dia anterior, Estados como Rio de Janeiro e São Paulo haviam adotado restrição de serviços e de circulação de pessoas para tentar conter a pandemia da Covid-19. As pessoas com histórico de viagem recente ao exterior devem ficar, obrigatoriamente, em isolamento domiciliar por 14 dias a partir da data de desembarque em Alagoas. A regra serve também para quem apresentar sintomas de gripe, mesmo que sejam leves. As novas medidas foram determinadas pelo Governo de Alagoas em decreto da última sexta-feira (20). A Sesau tem reiterado a necessidade de que as pessoas com histórico de viagem recente aos municípios de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Belo Horizonte e/ou que tenham tido contato com caso suspeito ou confirmado de Covid-19 e não apresente sintomas também permaneça em casa em isolamento voluntário. No caso de apresentar sintomas respiratórios e febre, deve-se buscar atendimento em uma unidade de saúde, hospitais privados ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAS).

BRASIL

Ontem completou um mês do primeiro caso confirmado do novo coronavírus (covid-19) no Brasil. Durante este período a pandemia produziu 77 mortes, conforme atualização do Ministério da Saúde. A taxa de letalidade é de 2,7%. Ontem, as mortes já haviam se expandido para além de São Paulo e do Rio de Janeiro, com falecimentos em Pernambuco, no Rio Grande do Sul e no Amazonas. O secretário de Vigilância em Saúde, Luiz Henrique Mandetta, retificou o número de mortes no país. No relatório constava 78 óbitos, com um caso no Distrito Federal. Mas o secretário afirmou que o registro foi feito por engano e que DF não tem morte por covid-19. Considerando um mês após o primeiro infectado, o Brasil fica atrás da China (213 mortes e 9.802 casos) mas à frente da Itália (29 mortes e 1.694 casos). O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, afirmou que a comparação entre Brasil e Itália deve ser ponderada por uma série de aspectos, como pelo fato dos países terem faixas etárias diferentes (a Itália com mais idosos) e pelo Brasil ter mais leitos de UTI. O total de casos confirmados saiu de 2.433 ontem para 2.915 casos. O resultado de ontem marcou um aumento de 54% nos casos em relação ao início da semana. Do total de mortes, 58 foram em São Paulo, nove no Rio de Janeiro, três no Ceará, três em Pernambuco, uma no Amazonas, uma no Rio Grande do Sul, uma em Santa Catarina e uma em Goiás..

Mais matérias
desta edição