app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Cidades

Consumidor vai �s compras e garante peixe da Sexta-Feira Santa

Apesar das reclamações dos comerciantes de peixes relativas ao movimento nas vendas, era notável a presença de consumidores, ontem pela manhã, na Balança de Jaraguá para adquirir o pescado da Semana Santa. A clientela, porém, estava dividida entre a ba

Por | Edição do dia 28/03/2002 - Matéria atualizada em 28/03/2002 às 00h00

Apesar das reclamações dos comerciantes de peixes relativas ao movimento nas vendas, era notável a presença de consumidores, ontem pela manhã, na Balança de Jaraguá para adquirir o pescado da Semana Santa. A clientela, porém, estava dividida entre a balança e barraquinhas instaladas nas proximidades, autorizadas pela prefeitura para pescadores que moram na Favela de Jaraguá. Os preços estão acima da média durante o resto do ano, uma vez que são regulados pela demanda. A arabaiana varia entre R$ 12,00 e R$13,00; a cavala custa de R$ 8,00 a R$ 10,00; agulhinha, R$ 10,00; pescada branca, R$ 10,00; cação, R$ 6,00; sirigado, R$ 8,00; cioba, R$ 8,00; dourado, R$ 10,00 e tainha, R$ 6,00. O filé de siri custa R$ 12,00 e o camarão está com preços em alta. O mais caro é o vila franco, R$ 18,00, o quilo e R$ 25,00, o filé. O rosinha está por R$ 10,00; o barba-roxa (grande) R$ 15,00 e R$ 12,00 (médio). O filé pequeno está por R$ 10,00 e o pequeno (sem cabeça) R$ 8,00. “As vendas ainda estão fracas, pois as pessoas só compram mesmo na última hora”, disse o vendedor Ari Mesquita, da Balança de Jaraguá. Fiscalização Técnicos do Instituto de Pesos e Medidas de Maceió (Ipem) encerraram, ontem, a operação de fiscalização nas balanças e pontos-de-venda de pescados na capital alagoana. Dos pontos fiscalizados apenas a balança de pescados de Jaraguá apresentou irregularidade, com uma balança que não pesava corretamente.

Mais matérias
desta edição