app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades Pauline Pereira, da AMA, destaca que ainda não foi possível equacionar 100% economia e saúde da população

CIDADES CONCENTRAM 53% DOS EMPREENDIMENTOS DE ALAGOAS

Municípios autorizados a avançar de fase durante a pandemia têm forte influência na economia

Por regina carvalho | Edição do dia 16/07/2020 - Matéria atualizada em 15/07/2020 às 22h51

Com a confirmação de que parte das cidades alagoanas caminha para a estabilização do número de casos do coronavírus, regiões que continuam com os serviços não essenciais suspensos desde março, seguem em isolamento social, na fase vermelha e terão de conter o avanço da doença. A abertura de serviços em Maceió e parte dos municípios deve ser acompanhada de perto pelas autoridades para evitar o aumento de casos. “Como representante do comércio de bens, serviços e turismo de Alagoas, a Fecomércio está recebendo diversas solicitações de municípios que se encontram na fase vermelha no sentido de que possamos apoiar seus pleitos junto ao Governo no Estado. Assim, estamos auxiliando na construção de protocolos de retomadas”, declara Gilton Lima, presidente da Federação do Comércio de Alagoas (Fecomércio/AL). Na avaliação de Gilton Lima, foi considerado positivo esse avanço de fase na capital, na região Metropolitana e região Norte. “Apesar de não contemplar a totalidade das cidades alagoanas, não podemos falar que não há retomada da economia, já que essas áreas autorizadas a funcionar concentram 53% dos empreendimentos de todo o Estado, representando uma parte expressiva da economia”, finaliza. Na última terça-feira (14), com base na análise epidemiológica das duas últimas semanas da pandemia de Covid-19 em Alagoas, o governo confirmou que Maceió, região Metropolitana da capital e região Norte do estado podem retomar a partir de segunda-feira serviços suspensos e março. A capital entrará para a fase amarela do Distanciamento Social Controlado, já a região Metropolitana de Maceió e municípios da região Norte evoluem para a fase laranja. Foram analisados itens que compõem a Matriz de Risco: utilização da capacidade hospitalar instalada, evolução epidemiológica e taxa de evolução da doença. “Sabemos que as dificuldades de uma retomada ainda são grandes, queremos a saúde das pessoas em primeiro lugar, mas também não achamos uma resposta que equacione essa questão, que engloba saúde, economia e, acima de tudo, a vida das pessoas em todos os aspectos”, declarou a prefeita Pauline Pereira, presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA). Conforme o decreto, nos onze municípios da região Metropolitana de Maceió e mais nove cidades da região Litorânea Norte, que passam para a fase laranja, fica autorizada a reabertura de lojas de ruas com até 400m² (exceto shopping centers, galerias e centros comerciais); salões de beleza e barbearia com capacidade de atendimento reduzida em 50%; além de templos, igrejas e demais instituições religiosas com funcionamento reduzido para 30% de sua capacidade. Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde informa que “vem reiterando a importância de as pessoas seguirem o decreto do governo estadual que trata do isolamento social. O isolamento é importante, pois contribui diretamente para que as pessoas evitem aglomerações e baixe o contágio da Covid-19. A Sesau reforça, ainda, que o cumprimento do isolamento social tende a refletir na ocupação dos leitos exclusivos para tratamento de pessoas com a Covid-19.

Mais matérias
desta edição