app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Banco de leite humano do HU j� est� funcionando

O banco de leite humano do Hospital Universitário, em Maceió, começou a funcionar, oficialmente, ontem, com objetivo de atender os recém-nascidos com risco de morte e orientar as mães sobre a importância da amamentação no peito para a redução da mortalida

Por | Edição do dia 04/04/2002 - Matéria atualizada em 04/04/2002 às 00h00

O banco de leite humano do Hospital Universitário, em Maceió, começou a funcionar, oficialmente, ontem, com objetivo de atender os recém-nascidos com risco de morte e orientar as mães sobre a importância da amamentação no peito para a redução da mortalidade infantil. A cerimônia de inauguração do novo setor foi realizada à tarde e contou com a participação do coordenador da Rede Nacional de Bancos de Leite Humano, João Aprígio Guerra. O convidado proferiu palestra para estudantes e profissionais da Saúde sobre o que representam os bancos de leite para a saúde pública no cenário nacional e internacional. Os bancos de leite humano transformaram-se em instrumentos de fundamental importância para reduzir a incidência de mortes em crianças, principalmente entre os recém-nascidos de risco com baixo peso e carências nutritivas, segundo revela Aprígio. Mas, apesar de o leite materno ser essencial para assegurar os nutrientes e anticorpos necessários à saúde do bebê, ainda se observa uma grande resistência das mães em oferecer aos seus filhos a alimentação exclusiva no peito. A resistência maior, segundo revela pesquisa do Ministério da Saúde, está no Nordeste, onde a média de amamentação é de apenas 41 dias, o que aumenta os riscos relativos de morte por diarréia, infecção respiratória e alergias nas crianças menores de um ano. Hoje a amamentação é vista como uma estratégia de sobrevivência para os recém-nascidos. O novo setor do HU vai assegurar o leite materno para as crianças que não têm acesso ao produto. Inicialmente serão atendidas as necessidades dos bebês nascidos no hospital, mas a meta é estender o serviço para toda comunidade.

Mais matérias
desta edição