app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Chuvas provocam alagamento nas ruas do Centro

FÁBIA ASSUMPÇÃO As primeiras chuvas de verão do ano provocaram alagamentos em várias ruas do Centro e na periferia da cidade. No bairro do Mutange, deslizamento de barro das encostas tomou conta dos trilhos de trem, paralisando o transporte ferro

Por | Edição do dia 08/01/2004 - Matéria atualizada em 08/01/2004 às 00h00

FÁBIA ASSUMPÇÃO As primeiras chuvas de verão do ano provocaram alagamentos em várias ruas do Centro e na periferia da cidade. No bairro do Mutange, deslizamento de barro das encostas tomou conta dos trilhos de trem, paralisando o transporte ferroviário da linha Maceió/Rio Largo, no início da manhã. O problema foi resolvido em tempo hábil pela gerência da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que enviou operários para fazer a desobstrução dos trilhos. Por volta das 9 horas da manhã, os trens já circulavam normalmente. Segundo o gerente da CBTU/Maceió, Adeilson Bezerra, esse tipo de problema sempre ocorre no período de chuvas naquela região. Ele informou que a companhia investiu em campanhas educativas para que a população evite jogar lixo nas encostas, mas não surtiu o efeito desejado. “Em períodos de chuva, até sofás velhos vão parar no trilho do trem”, lamentou. No Centro, foram registrados vários pontos de alagamento, como na Rua Cincinato Pinto, nas proximidades da sede do Soprobem, o que prejudicou o fluxo de veículos na área. Na Praça Montepio, uma árvore centenária caiu. Por sorte, ninguém passava no local na hora em que a árvore tombou. Na periferia da cidade, em bairros como o Clima Bom e no Conjunto Osman Loureiro as chuvas deixaram moradores ilhados no início da manhã. Os dois pontos são considerados críticos para o escoamento das águas, mas o poder público ainda não adotou medidas para amenizar o problema, segundo denunciam os moradores. Apesar da intensidade das chuvas, que começaram desde a noite de terça-feira, a Coordenação Municipal de Defesa Civil não registrou nenhuma ocorrência grave. Os moradores das encostas, no entanto, estão apreensivos com a chegada das chuvas de verão. Eles temem deslizamentos das barreiras e o conseqüente desabamento de barracos. No final da manhã de ontem, o tempo começou a melhorar. Mas a previsão dos institutos de meteorologia é de possibilidade de 60% de ocorrência de chuvas nos próximos três dias. Essa probabilidade aumenta para 70% no domingo.

Mais matérias
desta edição