app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Cidades

MP investiga ind�cios de neglig�ncia m�dica

O Ministério Público está apurando, através de procedimento administrativo, uma denúncia de negligência médica, que teria ocorrido durante o transporte de recém-nascido da Clínica Prontomed até a Maternidade Santa Mônica. Durante o trajeto, houve problema

Por | Edição do dia 05/04/2002 - Matéria atualizada em 05/04/2002 às 00h00

O Ministério Público está apurando, através de procedimento administrativo, uma denúncia de negligência médica, que teria ocorrido durante o transporte de recém-nascido da Clínica Prontomed até a Maternidade Santa Mônica. Durante o trajeto, houve problemas no aparelho de oxigênio, o que provocou uma alteração no crânio do bebê, que precisa passar por uma cirurgia. A investigação foi aberta a pedido dos pais da criança, André Figueiredo Gonçalves e Keyla dos Santos Silva, que procuraram o Núcleo de Direitos Humanos do MP para fazer a denúncia. O fato ocorreu em fevereiro, quando Keyla Silva fez uma cirurgia de parto na Clínica Prontomed. Após o nascimento, o bebê foi levado às pressas para a Maternidade Santa Mônica, mas durante o percurso a válvula de regulagem do cilindro de oxigênio apresentou um problema. A partir daí, o bebê teve crises convulsivas e apresenta deformação do crânio, que começou a crescer. Cirurgia Segundo relato dos pais, a criança começou a sentir fortes dores, tendo de tomar remédios controlados e passar constantemente por avaliação médica, que recomendou uma cirurgia para tratar do problema. Diante da denúncia, as promotoras Jussara Amaral e Jane Braga, do Núcleo de Direitos Humanos do MP, instauraram procedimento administrativo a fim de apurar o caso. Para os pais do bebê, houve negligência durante o transporte da criança, já que a clínica teve que trocar o parafuso do cilindro de oxigenação da ambulância. Ontem, as promotoras ouviram auxiliares e enfermeiras da clínica, motoristas e três médicos. Para a promotora Jussara Amaral, ao final das audiências, o MP irá concluir se houve ou não negligência médica ou se o problema do equipamento instalado na ambulância foi técnico. Caso seja confirmada a negligência médica, o procedimento será encaminhado para uma das promotorias criminais, que irá decidir pela abertura ou não de processo. “Se acharmos que nesse caso não houve culpa da clínica nem dos médicos, o caminho será o arquivamento do procedimento”, disse Jussara Amaral, acrescentando que nos próximos dias outras pessoas serão convocadas para prestar declaração ao MP.

Mais matérias
desta edição