app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Cidades

Pais e alunos s�o conscientizados sobre meios de combate � dengue

Moradores do Pontal da Barra realizaram, na manhã de ontem, com cerca de 350 alunos da Escola Silvestre Péricles, uma grande mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti. O bairro registrou o primeiro caso da dengue hemorrágica em Alagoas. Os aluno

Por | Edição do dia 06/04/2002 - Matéria atualizada em 06/04/2002 às 00h00

Moradores do Pontal da Barra realizaram, na manhã de ontem, com cerca de 350 alunos da Escola Silvestre Péricles, uma grande mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti. O bairro registrou o primeiro caso da dengue hemorrágica em Alagoas. Os alunos e também a comunidade local percorreram as ruas do bairro, distribuindo panfletos explicativos nas residências, sobre como combater a doença e os cuidados que as pessoas devem ter para evitar os focos do mosquito. A ação foi uma iniciativa do Programa de Educação Ambiental Lagoa Viva e contou com a parceria das secretarias municipal e estadual de Saúde, da Trikem, e do conselho comunitário local, além de equipes do Programa de Saúde da Família (PSF). “Primeiro, dentro das salas de aula, os alunos foram conscientizados sobre os riscos da dengue, depois, todos foram para as ruas fazer a distribuição dos folhetos e exibição de cartazes”, explicou a vice-diretora da Escola Silvestre Péricles, professora Rosilda Maria Gouveia. Os alunos ainda tiveram o apoio dos pais, que também saíram às ruas para participar do evento. Segundo a coordenadora do Programa Lagoa Viva, Lenice Moraes, outros eventos semelhantes serão realizados em Maceió, com o objetivo de alertar a população acerca dos riscos da dengue e da proliferação do Aedes aegypti. “É importante esclarecer à população sobre a doença que está deixando todo o País preocupado. Nesse aspecto, a informação é fundamental”, declarou. Após a caminhada pelas ruas do Pontal da Barra, houve a apresentação de uma peça teatral, na Praça Caio Porto, encenada por funcionários, médicos e enfermeiras da Unidade de Saúde Tarcísio Palmeira, daquele bairro.

Mais matérias
desta edição