app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Cidades

Protesto de moradores interdita rua no Conjunto Santos Dumont

Moradores do Conjunto Santos Dumont, no Tabuleiro do Martins, realizaram, ontem pela manhã, uma manifestação com a interdição e a queima de pneus na Avenida Roldão de Siqueira Fontes, pista principal de acesso ao conjunto. O objetivo foi chamar a atençã

Por | Edição do dia 06/04/2002 - Matéria atualizada em 06/04/2002 às 00h00

Moradores do Conjunto Santos Dumont, no Tabuleiro do Martins, realizaram, ontem pela manhã, uma manifestação com a interdição e a queima de pneus na Avenida Roldão de Siqueira Fontes, pista principal de acesso ao conjunto. O objetivo foi chamar a atenção dos órgãos competentes e sensibilizar a Prefeitura de Maceió a tomar as providências com relação à drenagem e a pavimentação da rua, cheia de buracos e lama. Eles reclamam do descaso da Prefeitura para com os moradores daquele bairro e afirmam que por causa dos buracos espalhados pelas ruas, a população tem sofrido sérios problemas, bem como os motoristas que trafegam pelo local. Segundo eles, vários apelos já foram feitos aos órgãos municipais competentes, mas até agora nenhuma providência foi adotada. “Convivemos com esse problema há oito anos e até agora ninguém resolveu a nossa situação. Já fizemos várias reivindicações na Prefeitura, mas o descaso continua. As ruas estão cheias de buracos e de lama e os ônibus já nem estão passando mais por aqui, o que nos obriga a descer no ponto lá da esquina”, reclamou Tárcido Cavalcante de Lima, uma das lideranças da associação dos moradores do conjunto. “A situação é de abandono e nenhum órgão aparece para se pronunciar e resolver o problema, apesar das várias promessas feitas pela Prefeitura sobre essa questão”, declarou o motorista José Mariano da Silva. Os moradores também reclamam da colocação de metralhas para tapar os buracos e possibilitar a passagem dos ônibus, ação que, segundo eles, teria sido feita pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT). “Essa ação terminou agravando o problema”, afirmou Tárcido Lima.

Mais matérias
desta edição