app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Cidades

Qu�mico tem proposta para resolver crise do lixo urbano

Resolver o problema do lixo em Maceió, através de projetos de reciclagem. Esse é o objetivo principal do projeto “Proteja a Natureza Brincando de Reciclar,” criado pelo químico - autodidata e funcionário público João Alberto Ribeiro, que traz consigo a id

Por | Edição do dia 06/04/2002 - Matéria atualizada em 06/04/2002 às 00h00

Resolver o problema do lixo em Maceió, através de projetos de reciclagem. Esse é o objetivo principal do projeto “Proteja a Natureza Brincando de Reciclar,” criado pelo químico - autodidata e funcionário público João Alberto Ribeiro, que traz consigo a idéia de revolucionar a questão do lixo na cidade de Maceió. Ele revela que para realizar o projeto demorou em torno de seis anos pesquisando e adotando sugestões e dicas. “Foi um trabalho que exigiu muita dedicação”, frisou. Mas para colocá-lo em prática, João Alberto disse ser necessário apoio de órgãos públicos para a reserva do local da reciclagem do lixo e contratação de pessoal. “Sem o apoio dos órgão competentes infelizmente não será possível resolver o problema do lixo na Capital”, acentuou. O projeto tem como meta principal gerar emprego e renda para a população carente e ao mesmo tempo resolver o problema do lixo da cidade. O criador do projeto de reciclagem afirma que Maceió produz cerca de uma tonelada de lixo por dia, sendo 30 por mês e 365 toneladas por ano. Na avaliação dele, o projeto pode livrar a Prefeitura de Maceió de uma despesa de R$ 1 milhão, gastos com as empresas que fazem a coleta do lixo. “A Prefeitura deixaria de ter despesas com o lixo, e deixaria a cidade limpa”, frisou. A idéia, segundo ele, é transformar o lixo em telhas, tijolos, vassouras, baldes, blocos de cimento e mangueiras, que posteriormente, afirma, seriam comercializados a preços mais acessíveis à população alagoana. “Tudo é possível fazer com o lixo”, frisou. O projeto envolveria os alunos de escolas municipais e estaduais incentivando-os a trocar o lixo seco, por prêmios. “Sensibilizar a comunidade sobre a responsabilidade com a geração e o destino dos resíduos”, frisou.

Mais matérias
desta edição