app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5692
Cidades

Jacar� dos Homens tem 42 fam�lias desabrigadas e R$ 156 mil em preju�zos

ARNALDO FERREIRA Jacaré dos Homens - O agricultor Severino Farias e sua mulher Lececi da Silva de Farias formam uma das 42 famílias que conseguiu escapar ilesa com os dois filhos, depois de ter a casa parcialmente destruída após o rompimento da barra

Por | Edição do dia 23/01/2004 - Matéria atualizada em 23/01/2004 às 00h00

ARNALDO FERREIRA Jacaré dos Homens - O agricultor Severino Farias e sua mulher Lececi da Silva de Farias formam uma das 42 famílias que conseguiu escapar ilesa com os dois filhos, depois de ter a casa parcialmente destruída após o rompimento da barragem no riacho Jacaré. O casal mora na entrada da cidade deste município. A imagem próxima à residência deles é desoladora: casas destruídas, restos de mobília e de aparelhos de TV nas margens do riacho. Mesmo assim, as famílias atingidas pelas chuvas que ontem deram uma trégua durante o dia estavam de volta e tentavam recuperar o que a correnteza do riacho não arrastou. “Moro há 30 anos neste local e nunca vi nada parecido”, desabafou Severino Farias ao acrescentar que a última cheia semelhante que se tem notícia em Jacaré dos Homens aconteceu em 22 de janeiro de 1929. O número de casas totalmente destruídas pelo rompimento da barragem do riacho Jacaré subiu para dez; 32 ficaram parcialmente danificadas e as 42 famílias desabrigadas foram alojadas nas duas escolas públicas e na Associação dos Produtores Rurais, disse, ontem, o prefeito Marcelo Souto (PL). O prefeito também foi atingido. O acesso a sua casa que fica na parte alta da cidade foi destruído. “Estou alojado de forma improvisada na casa da minha mãe”, confessou Marcelo Souto à GAZETA DE ALAGOAS na casa da mãe que fica na parte alta, perto da Igreja Matriz. No início da tarde, o prefeito encaminhou para a Comissão Estadual de Defesa Civil a “notificação preliminar do desastre meteorológico”. No documento afirmou que para recuperar as casas destruídas ou parcialmente danificadas, as pontes municipais, parte da rede elétrica e regularizar o abastecimento de água vai precisar de R$ 156.730,00. A notificação foi elaborada pela Comissão Municipal de Defesa Civil. A primeira-dama, Rejane Souto, junto com os vereadores e as famílias que não foram atingidas pelo rompimento da barragem, providenciavam cestas básicas, medicamentos e roupas para os desabrigados. “Por enquanto está tudo sob controle”. Uma equipe de voluntários também estava ontem nas áreas castigadas e ajudava as famílias a recuperar as mobílias e tirar a lama das casas. O governador em exercício, Luis Abílio de Souza Neto, e o próprio governador Ronaldo Lessa (ambos do PSB) mantiveram contatos com os prefeitos atingidos pelas cheias. Eles prometeram enviar o socorro financeiro tão logo recebam os relatórios preliminares do desastre.

Mais matérias
desta edição