app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Cidades

Serenata da Pitanguinha faz pr�via hoje em Jaragu�

Está chegando a hora de vestir a fantasia, soltar confete e cair na folia. O início da temporada pré-carnavalesca mal começou e a alegria colorida e musical da nossa tradição mais popular já está espalhada pela cidade, especialmente em Jaraguá. O bairro,

Por | Edição do dia 12/02/2004 - Matéria atualizada em 12/02/2004 às 00h00

Está chegando a hora de vestir a fantasia, soltar confete e cair na folia. O início da temporada pré-carnavalesca mal começou e a alegria colorida e musical da nossa tradição mais popular já está espalhada pela cidade, especialmente em Jaraguá. O bairro, que todo ano recebe os desfiles de blocos da capital, vai dar início às comemorações com um baile e um concurso de máscaras, animados pela festiva Serenata da Pitanguinha. A festa marca o penúltimo dia do projeto Jaraguá Cultura e Negócios, realizado pelo Sebrae Alagoas e acontece no Armazém Dom José, hoje, a partir das 22 horas. “Tenho certeza de que vai ser um sucesso total”, afirma Valmir Limbardi, vice-presidente do projeto que se transformou em uma organização sem fins lucrativos destinada a preservar os valores musicais alagoanos e estimular o gosto pela música entre jovens e adultos. A Serenata da Pitanguinha abre a noite com um time integrado por quase trinta seresteiros. Muita animação em marchinhas e sambas de domínio público. “Vamos resgatar um baile nos moldes dos antigos carnavais de Maceió, por isso o convite para que as pessoas venham com suas máscaras e fantasias”, explica Alfredo Brandão, diretor da Serenata. Durante a festa, uma comissão irá convidar os presentes a desfilar para, em seguida, eleger os melhores adereços. Os primeiros colocados receberão troféus e o vencedor também um prêmio de R$ 500,00. Encerrando a noite, a orquestra de frevo formada por integrantes da banda Vulcão sobe ao palco e finaliza o baile até o último folião cansar. Resgate O projeto Serenata da Pitanguinha nasceu em outubro de 1994 e foi aos poucos crescendo, conquistando o público, ultrapassando os limites do bairro e fazendo fama em toda cidade de Maceió. Pioneira do gênero no Estado, a serenata rege seu compasso empunhando violões, cavaquinhos, bandolins, viola de 10 cordas, saxofones, clarinetes, pandeiros e atabaques, quebrando uma tradição conservadora e adicionando diversas tendências da música brasileira. O sucesso do grupo deve-se em parte ao seu repertório, pautado em apresentar valores da música alagoana, como Wilma Miranda, Tororó do Rojão, Roberto Becker, Chico Alpídio e Eliezer Setton, blocos com clássicos da seresta tradicional, Jovem Guarda, MPB e músicas contemporâneas de autores como Alceu Valença e Lulu Santos. Apesar de não ter fins lucrativos, a Serenata da Pitanguinha aceita apoio financeiro para tocar suas apresentações e manter oficinas musicais de interesse social. Os lançamentos do CD “Resgatando Memórias” e do livro “Resgatando Memórias, Cultivando Amizades” foram outro marco na história do grupo. O disco é uma coletânea de 20 músicas carnavalescas de compositores alagoanos gravadas em estúdio.

Mais matérias
desta edição